5 dicas de educação financeira que vão te salvar no fim do mês

Você chega no fim do mês completamente zerada? Não tem ideia de quanto vai gastar mês que vem e vive em uma montanha russa de dívidas? Calma que a gente te ajuda!
educação financeira dividas dicas

Foto:Jessica Lewis/Pexels

Investimento, Juros e Lucro não podem ser palavras assustadoras para ninguém. Isto, porque aprender conceitos de Educação Financeira é imprescindível para usar o dinheiro com sabedoria, seja na juventude ou vida adulta. Administrar o próprio orçamento, entender o consumo consciente, aprender  cidadania e até mesmo controle emocional fazem parte das aulas do o professor David Mauro Degenzajn, do Colégio Renascença, em São Paulo. 

Com o conteúdo adequado a cada estágio de aprendizagem, o professor, que é responsável por expor o conteúdo de maneira fácil e interessante aos estudantes, reuniu 5 dicas práticas que vão ajudar adolescentes e adultos a organizar melhor o orçamento e evitar as dívidas no fim do mês. Você sabia que pedir descontos de 5% pode influenciar positivamente às finanças?


Vamos nessa:

1- Desvende os juros

Os juros compostos podem ser um grande aliado ou um grande vilão em sua vida financeira: saiba tirar proveito deles em seus investimentos e aplicações financeiras. Por outro lado, eles podem transformar suas dívidas com o cartão de crédito ou cheque especial, por exemplo, em uma bola de neve de proporções colossais.

2- Compare. Sempre!

Não deixem de comparar e pesquisar preços de produtos do dia a dia: muitas vezes, diferenças de poucos reais ou até mesmo de centavos, podem significar, percentualmente, um valor significativo. Não se trata de despertar nas pessoas sentimentos como mesquinharia e avareza. Pequenas diferenças de preços podem, num longo prazo, representar significativas economias.

3- Tenha em mente quando você gasta por mês

Procure fazer uma planilha de orçamento doméstico, relacionando todas as receitas e despesas (fixas, variáveis, eventuais e extras). Ela ajuda a família a se organizar financeiramente e manter o equilíbrio financeiro. Esse tipo de controle também pode indicar onde há espaço para cortes de despesas e oportunidades para poupança. Ter uma poupança é fundamental para situações de emergência, como a perda do emprego, por exemplo.

4- Considere investimentos

Procure sempre que possível reservar parte de sua receita para investir. Para isso, é importante resistir ao consumo supérfluo, ao impulso das compras, às propagandas "tentadoras" veiculadas nos meios de comunicação. Isso não significa, no entanto, que devemos nos privar de lazer, restaurantes, viagens e passeios e abrir mão de situações que nos dão prazer. É fundamental que se estabeleçam prioridades que apontem para um consumo consciente sem perder de vista o futuro.

5- Pague a vista sempre que puder

Nas suas compras, procure sempre saber se há algum desconto para pagamento à vista: com a taxa de juros em baixa e estacionada em um patamar que gira em torno de 6% ao ano, um desconto de 5% para pagamento em espécie, por exemplo, é bastante significativo.

Comente