Zonas erógenas

Zonas erógenas

Explorar o corpo, na hora do sexo, vai muito além dos toques nas áreas genitais. Isso mesmo. Existem regiões, que na maioria dos indivíduos, são fontes de excitação, as famosas zonas erógenas, que estão espalhadas pelo corpo e despertam desejo e prazer pelo simples toque.

Inervações nessas áreas podem se transformar em receptores de estímulos, que vão direto ao cérebro, gerando prazer. “Nesse caso, o mapa do erotismo é acionado”, diz a ginecologista Jaqueline Brendler, especialista em sexualidade humana.

“Quanto maior o número de experiências sexuais positivas uma pessoa tiver, mais ela tem chance de descobrir novas zonas erógenas e aumentar o seu mapa de erotismo individual”, completa.

Essa boa memória sexual tem tudo a ver com o cérebro - e é preciso existir permissão dele para que desejo seja desperto, para que a excitação ou a sensação prazerosa seja efetivada. “O cérebro é nosso maior órgão sexual”, diz Jaqueline. Depois dele, a pele, por sua extensão. “Ela possui nervos e receptores para tato e pressão, em suas diferentes graduações”, explica. A mão, segundo ela, é outra importante região do corpo, também em número de receptores e inervações, que lhe confere uma potencialidade erótica significativa. A carícia no corpo do parceiro é um ingrediente básico para uma relação sexual satisfatória.

Não podemos esquecer o ouvido. Após transmitir ao cérebro algum som ou palavra especial, é capaz também de desencadear desejo”, diz. O nariz pode também sentir como afrodisíaco um cheiro específico e estimular o prazer.

As zonas erógenas do homem não são um mistério completo para as mulheres. Mas às vezes, sem saber, podemos estar a um passo de transformar um simples toque em intenso prazer. “A glande é a principal região erógena do homem, por ser mais ricamente inervada e relacionada especificamente com o orgasmo”. Entre as zonas secundárias ficam o pênis, os testículos e os mamilos. “Além delas, a região prostática é especial e pode ser acessada por toque retal”, indica a médica.

Jaqueline indica ainda que homens com dificuldades sexuais podem não ter seu erotismo acionado por alguma ou várias dessas zonas e, nesse caso, não adianta insistir. “A solução é fazer terapia sexual para resolver os conflitos existentes, desbloquear essas zonas e, a partir daí, viver a sexualidade de uma forma livre e saudável”.

Zonas Erógenas Primárias

Próstata - quando estimulado, equivale ao ponto G feminino

Glande do Pênis - equivalente ao clitóris no homem

Zonas Erógenas Secundárias

Boca - alto grau de simbolismo sexual

Orelhas - rica em terminações nervosas, o que lhe dá um alto grau de sensibilidade

Nariz e Olhos - transmitem e recebem sinais de sensualidade

Pescoço e Nuca - contêm muitas terminações nervosas

Umbigo e Abdômen - grau de excitação tende a aumentar na medida em que as carícias se aproximem dos órgãos genitais

Nádegas - exercem atração e são bastante receptivas a carícias

Coxas - a parte mais sensível é o lado interno, próximo aos órgãos genitais

Tornozelos, Panturrilhas e Pés - possuem conexões nervosas e, quando estimulados, podem trazer sensações prazerosas que são distribuídas pelo corpo

Ânus - a área externa é altamente estimulável, pois sua origem ectodérmica é a mesma da glande no homem e do clitóris na mulher

Períneo - localiza-se entre o ânus e o saco escrotal, por isso é associado a uma ponte entre o prazer genital e anal

Mamas e Mamilos - áreas muito sensíveis ao toque

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente