Você é muito importante pra mim

Você é importante para o seu companheiro? Em sua nova crônica, Ricardo Coiro fala da importância em valorizar a pessoa que está ao seu lado

Foto: Reprodução/puramagia

Como você já deve ter notado, eu estou pouco me lixando para gavetas abertas, camas desarrumadas e camisetas amassadas. Não dou a mínima para roupas de marca, carros importados e camarotes em baladas. Não tô nem aí para aquilo que falam da minha barba, pensam sobre minhas tatuagens e afirmam a meu respeito. Mas preciso que saiba de uma coisa: eu me importo com você. Bem mais do que isso, meu bem: eu me importo PRA CARALHO com você! E sabe por quê? Porque você é muito importante pra mim, simples assim.


Eu sei que você nunca me pediria isso, mas, se um dia falasse “Ou eu ou o temaki, decida-se!”, eu não pensaria duas vezes antes de optar por você e dizer adeus àqueles cones brutalmente deliciosos e que me fazem salivar bicas. O mesmo aconteceria se dissesse “Ou eu ou os Stones!” ou “Ou eu ou a cerveja!”, pode apostar. Mas nem pense em me pedir uma coisa dessas, promete?

Você é muito importante pra mim, pode acreditar. É zilhões de vezes mais importante do que meu time do coração, minha coleção de Vans e os livros que cuido com muito carinho, como se fossem frágeis filhotes de coala.

Você é importante pacas, não duvide. Mais do que todas as mulheres que já experimentaram o gosto da minha boca. É tão importante que, quando penso em minha vida sem você dentro dela – transformando domingos nublados em Carnavais, omeletes em banquetes presidenciais e realidade em pura poesia pura -, vejo apenas um insuportável breu, dolorosas lacunas impreenchíveis e a dor lancinante de uma fratura exposta que eu, muito provavelmente, não saberia como dissimular.

É tão importante que, quando penso em você, logo sinto uma puta vontade de cuidar de mim. Coisa de louco, né? Muitos devem achar, eu sei. Mas a verdade – aquela que faz total sentido ao meu coração - é que eu quero estar sempre preparado para lhe proteger de trombadinhas, tempestades e baratas voadoras teleguiadas. Eu quero que nunca me falte fôlego e forças para nadar por nós dois, se um dia nosso avião cair no Pacífico ou nossa jangada afundar em Jericoacoara. 

Quero estar apto a quebrar braços e dentes para lhe defender de qualquer otário que enlouqueça a ponto de levantar a mão e a voz pra você. Quero ter a manha de fazer fogo com pauzinhos para lhe aquecer se um dia - por acaso, excesso de cerveja ou morte súbita do GPS - nos perdermos em uma ilha deserta; aliás, por que você acha que assisto àqueles programas de sobrevivência no Discovery Channel? 

É tão importante para mim que nem dor de tatuagem multiplicada por dor de dente somada à dor de pedra no rim se compara à dor que senti no dia em que você chorou por achar que não era importante pra mim. Desperdiçou lágrimas, isso sim! Porque, pra mim, você é tão importante quando o mano Thomas Edison foi à humanidade. Aproveitando o gancho: é a lâmpada que preciso para sobreviver às trevas desta vida.

Por Ricardo Coiro

Ricardo Coiro - Vive entre o soco e o sopro. Morre de medo do morno e odeia caminhar em cima do muro. Acha que sensibilidade é coisa de macho e que estupidez é atitude de frouxo. Nunca recusou um temaki ou um café. Peca todo dia. Autor do livro Confissões de um Cafamântico.

Comente

Assuntos relacionados: relacionamento namoro companheirismo