Vírus HPV é a principal causa do câncer de garganta

Sexo oral e câncer de garganta

Foto: Danny Moloshok / Reuters

Cair de boca no órgão sexual do parceiro é uma das preliminares que os brasileiros mais apreciam. Porém, o sexo oral pode transmitir doenças e exige uma série de cuidados. A falta de um preservativo nessas horas pode resultar na transmissão de doenças graves.

O ator americano Michael Douglas, por exemplo, revelou ao jornal britânico "The Guardian" que o câncer de garganta que contraiu há três anos foi em decorrência da prática do sexo oral e não pelos vícios de cigarro e álcool.

"Sem entrar em detalhes, este câncer muito específico é provocado pelo vírus do papiloma humano (HPV), que na verdade vem do sexo oral", explicou o astro de 68 anos. Após passar por sessões de quimioterapia e radioterapia, Michael Douglas contou que tem feito controles regulares da doença, agora a cada seis meses, e que tudo está normal há dois anos.

A relação entre sexo oral e câncer já havia sido alertada por estudos. Um deles vem da Universidade do Estado de Ohio, nos Estados Unidos, que descobriu que o vírus HPV atualmente é a principal causa da doença em pessoas com menos de 50 anos. O papiloma vírus humano possui mais de 200 variações e pode provocar lesões de pele ou em mucosas.

Uma lesão oral pode contaminar o órgão sexual do parceiro e vice-versa. A mulher, por exemplo, pode contrair o HPV e ter apenas uma verruga ou até um câncer de colo de útero. E de acordo com o Instituto do HPV, no mundo, a doença causa cerca de 250.000 mortes a cada ano, mais frequentemente em países em desenvolvimento como o Brasil.

Há vacina contra o HPV. A pessoa deve tomar três doses. Mas o valor total não é baixo, custa em média R$ 300.


Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente