Verão: estação do sexo!

Verão estação do sexo

Basta o calor aparecer para as saias diminuírem de comprimento e os decotes aumentarem de tamanho. O corpo fica mais a mostra e a sensualidade mais pulsante. É por isso que o verão, das festas de final de ano ao Carnaval, é a estação do sexo!

Não há fundamento fisiológico que prove o aumento do apetite sexual no verão, mas os hormônios se agitam e, no clima das férias, impulsionam a atividade sexual. “Com menos estresse e mais tempo para se comunicar, é natural que tenham mais relações”, fala o terapeuta sexual Victor Santos. A ciência explica que, nos homens, a testosterona atinge seu pico pela manhã e, nas mulheres, entre o 14º e 18ª dia do ciclo menstrual. Fora isso, nada além de estímulo e vontade determina se o sexo vai rolar ou não.

Mas nas férias de verão parece que os hormônios se ligam na tomada. As vendas de preservativos disparam: em agosto do ano passado, por exemplo, foram comercializadas cerca de 77 mil caixas de camisinhas - mais 15 mil do que a média dos restantes meses. A pílula do dia seguinte também viu as vendas subirem - cerca de 4 mil a mais que a média.

A explicação pode ser simples. A mulher se sente mais atraente e, combinando com a estação da festa, estão mais liberais. “Muitas planejam férias com as amigas ou festas em grupos, já planejando as relações descompromissadas”, diz Victor. Segundo ele, há maior possibilidade de relacionamento nas estações turísticas e, nesse caso, o sexo surge inesperadamente.

Conforme dados do Ministério da Saúde, setembro e outubro são os meses em que mais nascem crianças, concebidas em dezembro e janeiro, são os chamados “filhos do verão”. Mas além dos bebês, outras conseqüências podem aparecer depois do sexo de verão. A cada ano, cerca de dez milhões de brasileiros desenvolvem alguma DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis). O ginecologista Paulo Martins percebe um crescimento de 20% no número de pacientes com infecções sexuais depois do Carnaval. O médico destaca a importância do sexo seguro tanto para evitar a gravidez indesejada como para prevenir doenças, que podem levar, dentre outras conseqüências, à infertilidade.

O estimulo à sexualidade é fato. A música vai embalar, a brisa vai refrescar. Então, na hora de curtir o verão e aproveitar o máximo da liberdade, fique alerta: se não quer uma surpresa na primavera, tenha em mente que amores de verão são bons, mas nem sempre duram mais que a própria estação. E abuse do protetor solar e da camisinha.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente