Traição feminina: menos culpa e mais prazer

Traição feminina  menos culpa e mais prazer

As mulheres traem com menos culpa e tanto quanto os homens. Foto/reprodução Vida de Casal

Um tema bem polêmico, como sempre, e principalmente para os homens que andam de olho vivo em suas mulheres. É isso mesmo. Foi-se o tempo em que elas eram as mais lesadas com a traição.

Em primeiro lugar: por que será que a culpa feminina deveria ser maior do que a masculina? Nem um pouco, não é mesmo? As mulheres estão agindo livremente, digamos, exatamente o que os homens sempre fizeram. Isso não quer dizer que as mulheres estão apenas "repetindo" um comportamento, elas estão buscando prazer sem largar o marido/namorado.

Existe ainda a lenda de que as mulheres traem quando querem se separar, e ficar com outra pessoa. Será?

Elas procuram pura e simplesmente prazer, elas querem viver novas experiências sexuais e querem se sentirem desejadas e muitas vezes elas não encontram isso em seus relacionamentos.

É justamente por isso que as mulheres estão cada vez mais se libertando da culpa ancestral, algo que nunca foi constatado nos homens, pelo menos, em se levando em conta a grande maioria, e a educação que eles recebem, muito diferente daquela dada às meninas.

A pesquisa Mosaico Brasil, realizada em 2008 e coordenada pela médica psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do ProSex (Programa de Estudos em Sexualidade) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, mostrou que a infidelidade feminina cresceu nos últimos anos, enquanto que a masculina, que costuma liderar, se manteve, sem aumentar.

O estudo foi feito com base em entrevistas feitas com 8.200 pessoas em 10 capitais nacionais, 49,5% das casadas com idade entre 18 e 25 anos revelaram que traem seus maridos. Um salto em relação ao número de confissões de mulheres de 40 a 50: dessa faixa, 34,7% assumiram a traição. Apenas 22% das mulheres com mais 70 admitiram terem sido infiéis.

Se antes para encontrar alguém para trair não era tão fácil, isso mudou. Temos até rede social especializada em relações extraconjugais, o site Ashley Madison e o aplicativo de celular para se conhecer gente que esteja nos arredores, o Tinder para Android.

Ninguém segura essa mulherada, a não ser elas mesmas.


Por Giseli Miliozi

Comente