Sexo para cadeirantes

O sexo e os lesados medulares

O sexo para quem tem uma lesão medular pode ser tão prazeroso quanto qualquer outro. Foto: © P. Broze/Onoky/Corbis

O sexo para cadeirantes, que perderam parte dos movimentos do corpo por conta de um acidente ou doença, requer muito tesão, vontade e boa dose de bom humor. As limitações fazem com que aflorem a criatividade e dá para incluir algumas adaptações importantes na hora da transa. Com jeito e muito amor dá para tentar manobras interessantes e ter muito prazer durante o sexo, tanto quanto qualquer casal normal.

Há áreas da medicina bem preocupadas com isso. O Dr. Mitchell Tepper, um sexólogo americano, criou alguns vídeos mostrando posições sexuais especiais para quem tem lesão medular e está na cadeira de rodas. O próprio doutor que também é lesionado é quem aparece nos vídeos e demonstrações.

Nos vídeos, o doutor dá dicas de como se acomodar melhor para usar melhor as posições, como usar almofadas especiais e até vibradores e outros brinquedinhos estimuladores. O importante é não deixar-se abater e esquecer da vida sexual.

As dicas são de diversas posições que podem ser testadas e são aparentemente fáceis de fazer e de adaptar com os recursos que cada um tem. É importante manter o foco, valorizar os toques e carícias e a entrega. Se houver a necessidade de ajuda profissional, isso pode melhorar e muito a vida do lesado.

Um bom exemplo foi mostrado no filme "As sessões" de 2012, que mostra bem essa realidade, a do sexo e do prazer na vida das pessoas com limitação de movimentos. O filme é uma adaptação livre da experiência de vida da terapeuta Cheryl Cohen-Greene, que inclusive foi consultora da produção do filme.

As posições sugeridas são bem primárias, claro, mas as imagens ajudam muito para dar dicas boas para ambos alcançarem o prazer. As posições são boas para o casal. Por exemplo, no sexo com a mulher por cima, essa posição é maravilhosa para qualquer pessoa, seja ela lesada ou não. Há também o sexo oral com o uso de almofadas que dão uma mãozinha até para começar com toques, carinhos e beijos.

Engana-se quem acha que o cadeirante não pode mandar muito bem no sexo, o que importa é o (a) parceiro (a) estejam querendo muito, com o auxílio de algumas almofadas e truques a transa pode ser bem quente e tão gostosa como qualquer outra.

Veja um dos vídeos do Dr. Tepper, está em inglês, mas é fácil de entender pelas imagens:


Por Giseli Miliozi

Comente

Assuntos relacionados: sexo deficientes físicos