Sexo é Sexo. Amor é Amor.

Olá amigos e amigas.

Me deparei com um comentario em meu post " Sexo a Tres " que me fez escrever aqui hoje e não responder diretamente à "comentarista", pois acho que o assunto é bastante pertinente e todos devem comentar.

Muitos foram os que disseram que eu sou "corajosa" por transar com mais um homem alem do meu marido.

Muitas reviraram os olhinhos de prazer se imaginando e desejando que essa fantasia tão comum pudesse se tornar uma realidade em suas vidas. E isso eu desejo de coração á todas.

Mas um comentario me chamou a atenção. Uma pessoa que escreveu que não concordava com nada daquilo, pois para ela sexo é o mais sublime dos atos e não pode estar desvinculado do amor.

Eis o que quero debater com todos.

Será?

Para mim sexo é a coisa mais sublime do mundo, sim ! ( concordo plenamente com ela. Falta definirmos o que é sublime. Para mim é o que existe de mais gostoso e sem conotação religiosa). Ou seja, Delicioso. Chocolate por exemplo.

Mas para mim, para fazer sexo não é preciso amar.

Talvez você só tenha feito sexo com um unico homem até hoje e porisso tenha essa visão.Talvez isso seja apenas uma herança de seus pais, de como eles pensavam e te ensinaram assim. Talvez seja uma visão castradora imbutida em sua mente pela igreja. Não importa, é a sua visão e respeito-a, mas a minha é diferente.

Eu demorei muito tempo para encontrar um homem com que eu quisesse dividir minhas contas, mas nem porisso estava morta até acontecer.

Perdi a virgindade com cerca de 21 anos e desde então tive varios homens. Alguns foram namorados por algum tempo, outros foram apenas ficantes rapidos. E transei com todos eles.

Mas uma coisa me intrigava: Sempre que eu transava com alguem, ficava esperando uma ligação no dia seguinte, ficava olhando o além e suspirando pelo amor perdido.

E ficava encucada por que cargas dágua me apaixonava tão rapido e facil se havia apenas transado com o dito cujo. Ficava assim por mais um menos um mes...até encontrar um novo "amor"...

Então um dia, numa viagem de ferias, conheci um italiano que me fez ver o que acontecia. Eu queria transar só pelo prazer do sexo,mas a minha educação idiotamente moralista não permitia isso. Mas minha mente dizia que se estivesse apaixonada, podia!

Então eu simplemente me apaixonava depois, assim estava me perdoando pela falta cometida!

Era o plano perfeito que a minha mente havia criado para me deixar transar tranquila, mas que me mantinha refem de sentimentos que alem de tudo, eram pura ilusão!

Foi aí que eu descobri que não precisava levar o porco inteiro para ficar com a linguiça.

Foi a melhor sensação do mundo saber que eu podia ter a liberdade de dar e sentir prazer com quem apenas me atraia. Não precisava me casar porisso! Nem amar! Liberade maxima ! Para uma mulher bonita, profissional liberal, carro do ano na mão, apartamento, dinheiro sobrando e vivendo em São Paulo, o que me faltava era achar alguem para amar, mas enquanto não chegava...vamos curtir a vida!

A partir desse dia passei a transar apenas por tesão, isso mesmo, aquela sensação de que falta preencher o "interior" com algo ( Também conhecida com sindrome da Vagina Vazia) podia ser satisfeita sem culpa.

Com isso pude conhecer muito homens e retirar deles o que eles tem de melhor. Aprendi a fazer sexo de varias formas e hoje posso dar prazer ao meu marido com um vasto repertorio. E recebo em troca na mesmissima moeda.

E transar com mais um, dois ou varios homems na cama não afeta em nenhum momento esse amor que sentimos um pelo outro. Por um motivo muito simples: quem está lá transando são personagens eroticos e não os casados da vida real.

Vamos explicar melhor mais abaixo:

Outra critca de nossa amiga é que isso é uma "invasão de nossa intimidade".

Não, ninguem invade nossa intimidade. Ninguem sabe quem somos nós, o que fazemos, quanto temos no banco. Ninguem sabe se faço xixi de porta aberta ou não. Ninguem sabe se gosto de mortadela e ele não.( só para constar, odeio mortadela). NInguem sabe qual é minha profissão ou a de meu marido.

Intimidade é mais do que sexo, é cumplicidade de tudo que a vida nos dá. Somos cumplices em tudo, até no supermercado quando boicotamos a dieta e compramos chocolates olhando um para o outro rindo, sabendo que assim não vamos perder peso.

Isso é amor. Cumplicidade, companheirismo, carinho, amizade. Tudo isso nos une de tal forma, que somos capazes de ficar o dia todo juntos e rindo. Nos locais onde frequantamos somos conhecidos por estarmos sempre de bem com a vida e abraçados. Raras vezes brigamos ou divergimos nossas opiniões. E quando divergimos, o outro aceita para não brigar.

Fazemos amor também, não é somente sexo. Muitas e muitas vezes.

Mas de vez em quando achamos que devamos colocar mais pimenta na comida. Aí surge o sexo por sexo.

Nesse momento não sou a esposa adorada, senão ele mataria o outro que está em cima de mim. Sou uma "puta "mesmo. E que sabe fazer, já que aprendeu com a vida e tem a mente aberta o suficiente para saber que sexo é apenas sexo...

E ele é apenas mais um cara no quarto, que vai me deixar mutissimo excitada, vai me fazer gozar por dias seguidos, só me fazendo lembrar do quanto foi bom fazer apenas sexo.

Esta é a diferença.

E é o que te desejo, de coração.

Bond, Jane Bond.

Comente

Assuntos relacionados: ménage à trois amor e sexo amor