Sexo com filhos em casa

Filhos em casa como fica o sexo

Foto: John Smith/Corbis

Com a chegada dos filhos, a vida sexual da maioria dos casais costuma mudar de forma significativa. E isso não acontece simplesmente por falta de interesse ou tesão. A presença da criança em casa dá aquela impressão de que a qualquer momento haverá um flagrante. Muitos acreditam que é paranóia, mas, mesmo assim acabam diminuindo o ritmo.

Se você também passa por isso não se sinta sozinha. Confira histórias de casais que têm driblado os filhos, tentando manter o sexo em dia.

Mãe de duas meninas e um menino, Renata Paula Oliveira Martin, secretária, conta que a frequência diminuiu bastante, mas simplesmente porque ela e o marido ficavam cansados depois de todo o processo de colocar as crianças na cama. "Preferíamos dormir a fazer qualquer coisa", conta, mas adiciona que, em alguns dias, a situação acabava sendo excitante, afinal, não sabiam quando haveria uma nova oportunidade.

Daniela Alves do Santos, que trabalha com inteligência da computação, tem uma realidade parecida já que também possui três filhos. "Não dá para bobear! Eles são muito espertos. Então, o primeiro passo é trancar a porta do quarto, já que em outro ambiente da casa é difícil. Além disso, o clima fica fragilizado por conta dos três possíveis telespectadores. Logo, o ritmo era muito maior antes dos filhos", relata.

Outra mãe de três filhos, Simone Kikuchi, jornalista, aposta na adaptação de horários. "Deixa de ser ‘a hora em que dá vontade’ para ‘a hora em que dá’. Pode ser quando estão dormindo, vendo algum desenho novo na sala ou visitando um amiguinho da rua. Nas madrugadas também, mas daquele jeito meio dormindo, meio acordada, meio ‘será que estou sonhando?’", brinca.

Vanessa Fonseca de Souza, universitária que tem uma filha, é mais um exemplo de que a vida sexual do casal realmente muda com o cansaço das tarefas de uma família que tem filhos. Ela diz que quando a menina não está em casa, com certeza, ela e o marido se sentem mais à vontade e acabam fazendo sexo com calma. No entanto, no dia a dia, apostam basicamente em "brincadeirinhas".

Alternativas criativas

Para diminuir o impacto na vida sexual, Marta Dias, publicitária, mãe de duas meninas, criou algumas estratégias. "Elas mudam conforme a fase das crianças. Por exemplo, para as que não alcançam as maçanetas, só fechar a porta já resolve. Mas quando são um pouco maiores, dou uma dica: no caso de meninas aposte naquelas cortinas de florzinhas acrílicas instalada no batente da porta do quarto, enquanto no caso de meninos, acho que é possível encontrar de bolinhas e aviõezinhos. Assim, a criança sai do quarto e passa pela cortina fazendo barulho, o que dá tempo para o casal se ‘refazer’."

Mas ela afirma que de qualquer forma o ritmo não é mais o mesmo. "Já aconteceu de uma das minhas filhas dormir e aí o clima esquentar com meu marido. Mas, de repente, ela bateu na porta pedindo para ele ler uma história para voltar a adormecer. Nem precisa falar que quando voltou da leitura eu já estava dormindo, né?!"


No entanto, não perca a esperança, porque há casais que, mesmo com o cansaço e as novas obrigações de pais, conseguem manter uma boa frequência. Alice Cruz, cabeleireira, mãe de uma menina, afirma que em sua casa o ritmo não diminuiu. Para isso, tem suas artimanhas.

"Não fazemos barulho e precisamos ter certeza do nível de cansaço da nossa filha, para ela não acordar na hora errada", relata, dizendo que até costumam usar outros cômodos, já que, às vezes, a menina dorme no quarto do casal.

Por Fernanda Oliveira (MBPress)

Comente