Sexo casual: brinquedos eróticos caem no gosto dos homens

De acordo com a pesquiza, 62.17% dos homens curtem usar algum brinquedo erótico na cama. Já as mulheres, costumam ser mais conservadoras
brinquedos eróticos sexo casual

Os brinquedos eróticos contribuem para a descoberta das próprias sensações. Foto: Istock/alexanderbuntin

Seja para experimentar algo novo ou para realizar alguma fantasia, os brinquedos eróticos, ou sex toys, despertam a curiosidade de homens e mulheres na hora do sexo. É o que aponta pesquisa realizada pelo site de encontros casuais C-date. 


O levantamento teve como objetivo descobrir quais os brinquedos mais desejados pelos sexos, mas o resultado apontou que homens curtem muito mais o uso do brinquedinho para excitar a parceira, enquanto as mulheres demonstram um pouco mais de conservadorismo em relação a eles.

Os dados obtidos com a pesquisa apontaram que 62.17% dos homens curtem usar algum brinquedo erótico na cama. Por outro lado, somente 37,38% do público feminino afirmaram que usariam os brinquedinhos para surpreender o parceiro numa noite de sexo casual. Neste caso, 1.166 usuários responderam espontaneamente a pesquisa.

Na hora de esquentar o encontro casual, o brinquedinho preferido dos homens foram as bolinhas aromáticas que receberam 66,10% dos votos. Já os vibradores ou fantasias eróticas ficaram com 57.08% das escolhas do público masculino. Há ainda os que prefiram aos óleos quentes para massagem (48.03%) e sais de banho estimulante (42.71%) para deixar à noite mais excitante.

Já entre os itens favoritos das mulheres as posições se invertem um pouco. Os sais de banho estimulante ficam em primeiro lugar com 57.29%, seguido pelos óleos quentes para massagem (51.97%), o que demonstra um público feminino mais conservador no primeiro encontro. Isso porque, os vibradores e as fantasias receberam 42.92%, ficando em terceiro lugar. Por último, mas não menos importante, as bolinhas aromáticas receberam 33.90% das escolhas junto ao público consultado.

Para comentar sobre os tipos de brinquedos que mais usariam no primeiro encontro, a pesquisa ouviu 685 usuários cadastrados, que também contribuíram de forma espontânea com suas opiniões. As pesquisas realizadas pelo C-date oferecem informações sobre o comportamento adotado pelo usuário brasileiro sobre o tema sexo casual.

Segundo a sexóloga, Carla Cecarello, do site C-date, os brinquedos eróticos são saudáveis para a relação. O importante é que ambos os parceiros estejam de acordo em querer usar e brincar. “Apenas se só um dos parceiros quiser, o brinquedo pode instalar um problema. Os brinquedos eróticos contribuem para que a relação fique mais estreita entre os parceiros e mais solta e divertida”, lembra a sexóloga.

É importante ressaltar também que os brinquedos eróticos podem ser usados tanto a dois como sozinho. Quando são utilizados de forma solitária, contribuem para a descoberta das próprias sensações, do próprio prazer. “É uma maneira de saber do que gosta, como gosta, para que assim possa se solicitar para a parceria de forma mais consciente”, explica Carla Cecarello.

Mas, quando utilizados entre os parceiros possibilitam os casais conhecerem-se mutuamente e respeitarem seus limites e até avançar um pouco mais nas intimidades na hora H. Caso ambos os parceiros gostem juntos de compartilhar desses brinquedos, eles proporcionam novas descobertas na relação e garantiram uma noite apimentada. Por isso, é preciso ter mais cuidado na primeira noite do sexo.

Mas cuidado! O brinquedinho erótico pode acabar estragando à noite se você mal conhece a pessoa. "Principalmente, se a pessoa está em uma situação de sexo casual. Nunca se sabe o que o outro pensa a respeito, se de fato gosta deste tipo de brinquedos. Há homens, por exemplo, que se sentem ameaçados por vibradores em formato de pênis. Já pensou aparecer com um desses na primeira vez com ele? Por isso, sendo em uma situação de sexo casual, ou mesmo em uma relação de compromisso que esteja se iniciando, é bom ir com calma. Vale investigar primeiro, uma boa conversa”, alerta a sexóloga do C-date.

Por Thamirys Teixeira

Comente