Sadomasoquismo: Doença ou Fetiche?

Lendo o texto colocado pelo Vila Dois sobre Bondage, fiquei pensando em um post lido há muito tempo num desses sites de sacanagens, onde dois psiquiatras debatiam se o Sadomasoquismo deveria ser tratado como doença ou como simples fetiche e fantasia sexual . Ai resolvi debater aqui com vocês !

Eu particularmente adoro ser amarrada, algemada, amordaçada. Já fui até mesmo empacotada com Magi pac e adorei, apesar de ter achado muito quente. Recomendo fazer apenas no inverno...

Tenho cordas e algemas de couro em minha casa e de vez em quando peço ao meu marido para ser meu "amo e senhor" . Nesses dias adoro que ele me domine e me faça mulher. Me faz sentir mais desejada, femea fatal, que atrai num homem seu lado mais selvagem, quase das cavernas. É o instinto selvagem acordando.

A impressão que tenho é que a queda das defesas é o fator mais importante para aquele que gosta de estar preso, pois sem defesas não há desculpas para não gozar...

Apesar de odiar sentir toda e qualquer especie de dor e ele não gostar que eu fique com as mãos presas, pois acha que posso usa-las melhor quando livres, adoramos quando ele me faz ficar de joelhos, vestindo apenas um par de algemas, uma coleira e salto alto, de frente para ele, que me guia para fazer adivinha o que...e faço com todo amor e prazer.Depois ele me possui e garanto que não resisto nem um pouquinho...

Mas esta é apenas uma das brincadeiras sexuais que fazemos. Afinal o nosso repertorio é grande...

Ser imobilizada é o Bondage. Adoro o Shibari, uma tecnica milenar japonesa de imobilização das mulheres, onde as cordas criam desenhos no corpo e apertam exatamente onde deveriam apertar...os nós vão criando sensações somadas, que fazem com que a mulher potencialize seu poder orgastico. Uma corda bem amarrada ao redor dos seios faz com eles fiquem durinhos e pelo aumento da irrigação sanguinea local, a sensibildade fica bastante aumentada e qualquer toque faz você sentir maravilhas e ir ás alturas.

Dizem os que praticam o Sadomasoquismo Verdadeiro que a dor potenciliza o orgasmo e faz com que seja muito mais intenso. Mas de dor mesmo, só topo uns tapinhas no bumbum e uns beliscões nos peitinhos, mais que isso eu to fora...

Na terminologia dos sadomasoquistas de verdade (os que gostam de aplicar ferramentas que realmente causam dor e desconforto), os praticantes que gostam de ser apenas amarrados, do tipo "mas me solta logo que tá doendo" são os chamados " baunilhas". Ok, então sou baunilha assumida. Mas meu grande sonho mesmo é ser imobilizada e devorada por uns quatro ou cinco...UUUUUiii....

Bom, para aumentar a polemica, saibam que no governo Sueco o sadomasoquismo foi definitivamente banido do capitulo de trastornos mentais. Eles passaram a considerar o sadomasoquismo, o fetichismo e o travestismo como simples preferências sexuais e chegaram `a conclusão que mante-los como doença seria estigmatizar as pessoas que praticam.

Para os modernos suecos, sadomasoquismo é apenas um estilo de vida diferente do habitual, que podem ser praticado de forma saudável, por pessoas perfeitamente integradas à sociedade. (Eles são o primeiro País a atender às reivindicações do Revise F65, um movimento internacional que pede a retirada dessas três práticas do Catálogo Internacional de Doenças – CID. )

A verdade é que a prática é saudável e segura e não tem nada de doentio.

Não há violência real ou coação, toda “submissão” é voluntária, pois quem manda mesmo na relação é o Dominado, que estabelece os limites e diz quando é a hora de parar.

Com dor ou sem dor, amarrados ou não amarrados, é mais uma pratica de sexo são, seguro e consensual que pode trazer prazer á muita gente. Uma delicia a mais, apenas isso.

Beijos

Bond, Jane Bond

Comente