Relacionamento saudável em 5 passos

Psicólogo John Gottman mostra que pequenas atitudes podem trazer grandes benefícios para sua vida a dois
relacionamento-saudável

Foto - Shutterstock

Sempre acreditamos estar melhor quando acompanhados do que com alguém, mas ao se juntar a uma pessoa é preciso avaliar bem a escolha. Afinal, se for começar um relacionamento que seja com alguém que te deixe segura e feliz. Porque se for para ficar com alguém que só te traz estresse e aborrecimento, com certeza é melhor ficar sozinha.


Para construir um relacionamento saudável é preciso construir uma vida a dois agradável. Ok, sabemos que nem tudo são flores. Mas se entre o casal existe cumplicidade e propósitos em comum, já existem  motivos mais do que suficientes para apostar na relação.  

Segundo o psicólogo John Gottman há algumas atitudes capazes de criar e fortalecer os laços entre o casal e nós listamos alguns deles. Confira:

1) Identificar e conhecer o universo do parceiro

Casais emocionalmente inteligentes conhecem o universo um do outro e possuem um “mapa do amor” do parceiro. Isto é, conhecem seus gostos e preferências, objetivos, valores, visão de mundo, anseios, temores e esperanças.

Em nossa vida, cada um de nós experimenta o mundo através dos sentidos (visão, audição, tato, olfato e paladar) e do território. Assim, criamos nosso mapa interno a partir do mundo externo, mas o que está do lado de fora pode não ser a mesma coisa que está na sua mente e nós tendemos a responder às situações de acordo com o mapa de nossos valores, nossas crenças, memórias e conhecimento cultural.

Por isso que saber quais são as preferências, valores, forças, objetivos e desafios do parceiro é importantíssimo pra uma vida a dois mais tranquila.

2) Você admira seu parceiro?

Existir admiração e respeito entre o casal é fundamental. Até porque, se não há motivação para mudanças e melhorias, provavelmente não há sequer motivação para permanecer juntos. De acordo com o psicólogo, os casais felizes dedicam 5 horas adicionais por semana ao cultivo desses sentimentos. Ou seja, eles disponibilizam seu tempo para o outro. E se você acha que estamos falando de uma linda noite de romance – apesar de ser muito gostoso -, você está enganada. Falamos de pequenos gestos que significam muito: um beijo de chegada ou despedida; conversas de travesseiro, passeios e atividades corriqueiras, porém prazerosas.

3) Tem dado a atenção que seu parceiro merece?

Sentimentos positivos são criados também através de pequenos “lances”, ou formas de chamar a atenção do outro. Um sorriso, uma confidência dividida, um convite para um programa a dois. Voltar-se para o outro significa ficar atento aos “sinais” do parceiro e, claro, respondê-los o quanto. Deixe-se influenciar pela pessoa que você escolheu par ter ao seu lado.

Aqui o apoio tambm é importantíssimo, por isso, divida decisões, negocie concessões e partilhe o poder.

4) Resolva os problemas antes de ir para cama

De acordo com John Gottman, as divergências pontuais e solucionáveis constituem apenas 31% dos conflitos do casal, mas isso não significa que seu potencial para causar estragos seja desprezível.  Tudo aquilo que pode ser resolvido deve ser solucionado o quanto antes, a fim de evitar o desgaste desnecessário.

Se o casal não consegue negociar e se comprometer até mesmo para a resolução de questões menores, não irá administrar os conflitos perpétuos. Pense em todas as possibilidade que podem ser feitas para ajudar a resolver o conflito e apresente-as a seu parceiro. Ter uma boa comunicação é vital para a vida a dois.

5) Brigas com prazo de validade

Conflitos eternos podem levar os parceiros a se fecharem em suas posições. Questões perpétuas nunca ou raramente são resolvidas, porém, ao ponderar os motivos da discussão e abrir-se ao diálogo, o casal começa a construir caminho para poder administrá-las de maneira a controlar e reparar os danos já causados ao relacionamento.

Paula Perdiz

Comente

Assuntos relacionados: namoro vida a dois Paula Perdiz