Rapidinhas também podem ser gostosas

Para quem acha que sexo bom é sinônimo de transa demorada, a gente prova que uma rapidinha pode fazer milagres por você. Vem ver!
Rapidinhas também podem ser gostosas

Foto: Roman Maerzinger/Westend61/Corbis

Todo mundo gosta de um sexo bem feito, sem pressa ou preocupação. No entanto, cá entre nós, as rapidinhas, se esporádicas, também têm lá o seu charme e sedução. A prática, que é muito bem-vinda para manter o relacionamento sempre aquecido, é a forma ideal de aproveitar os momentos nos quais o tesão aflora e há obrigações sociais a serem cumpridas.

Quem nunca deu aquela escapulida nas domingueiras tardes enquanto o almoço familiar de domingo é servido ou durante o encontro com os amigos que atire a primeira pedra. A saída estrategicamente pensada no qual saem discretamente para ‘comprar’ aquele tempero que não pode faltar ou ‘abastecer’ o bar é exatamente o que vocês precisavam para curtir o momento de prazer e, sem que ninguém perceba, estar de volta e, claro, como sorriso de orelha a orelha.

Ok, sabemos que não rolou aquele oral super caprichado e que a transa durou apenas alguns minutos, mas, se bem feito, o pouco é muito. E outra o fato de ser inusitado deixa tudo mais excitante. Então, se você nunca baixa a guarda quando o gato suplica por uma rapidinha é melhor rever os seus conceitos e ceder aos apelos do parceiro.

Para começar, os lugares inusitados já excitam mais do que a cama, afinal, tudo que é proibido é mais gostoso. Estacionamento, elevador, escadaria ou banheiro do bar/balada são algumas das opções que fazem o tesão ficar ainda mais aflorado.

Agora, lembre-se: você está em um local que não tem a liberdade de tirar toda a roupa, então, se estiver pensando em surpreender o moço, vá de saia. Com as pernas de fora é mais fácil aplicar a velha técnica de colocar a calcinha para o lado, um seio ‘meio de fora’ e os gemidos baixinhos ao pé do ouvido levam ao orgasmo, isso é certo, sem falar que ele vai a-do-rar a surpresa.

Por Paula Perdiz

Comente