Prós e contras do sexo no motel

Prós e contras do sexo no motel

Quando os parceiros moram com os pais, fazer sexo dentro de casa se torna algo bem complicado. Apesar de alguns pais serem liberais nesse sentido, não são todos os casais que se sentem à vontade para vivenciar a intimidade da relação em casa, sabendo que há familiares circulando pelos arredores.

Por conta disso, a solução mais rápida - e comum - costuma ser o motel. Para o psicólogo e psicoterapeuta Marcelo Toniette, mesmo quando os casais transam em casa, o motel passa a ser uma alternativa para a prática de fantasias sexuais, pois este é um espaço onde a privacidade é garantida.

E, ao contrário do que alguns casais podem pensar, o sexo no motel não coloca em xeque os outros pilares da relação, como a conversa e a própria convivência. "Há quem prefira pernoitar em hotéis, já que lá não é um espaço tão relacionado ao sexo. E eu acredito que a baixa qualidade da intimidade ou diálogo não pode ser medida com base no uso do motel, mas ao tipo de relacionamento do casal", defende.

Na verdade, Toniette acha que o motel, por ser associado a um lugar onde se "deve ter" relações sexuais, pode tornar a experiência frustrante. "Isso porque a preocupação e até a determinação de fazer sexo só por estar no motel pode aumentar o grau de ansiedade e, consequentemente, prejudicar o desempenho sexual".


Para o psicólogo, o importante para quem frequenta o motel é desencanar que se "tem que" fazer sexo só por estar no motel, e incentivar a ideia de que o motel é um lugar onde existe a privacidade para que o casal faça de tudo, inclusive sexo.

E acrescenta: é fundamental o relaxamento e a descontração para o sexo. "A ida para o motel, assim como o envolvimento sexual com alguém, deveria ser percebida como algo prazeroso e gratificante, no qual o sexo é um elemento a mais dessa experiência."

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente