"Profundamente Sua" - mais ousado e bem escrito que "50 tons de liberdade"?

“Profundamente Sua” ou “50 tons”

Foto: Divulgação

Para quem achava que a literatura erótica era apenas uma modinha do momento, se enganou! O sucesso da trilogia da autora britânica EL James, "50 Tons de Cinza", serviu apenas para dar um empurrãozinho no mercado editorial desse tipo de livro que sempre existiram, porém, era desconhecido de algumas pessoas.

E com a febre da publicação que fala sobre a relação sadomasoquista entre a jovem Anastasia Steele e o bilionário Christian Grey, diversos títulos que seguem o mesmo estilo picante do best-seller têm surgido nas livrarias e vêm conquistando a mulherada.

Prova disso é "Toda Sua", primeiro volume da trilogia "Crossfire", da americana Sylvia Day", que ficou 11 semanas na lista dos mais vendidos do The New York Times nos Estados Unidos. O segundo volume da publicação, "Profundamente sua", será lançado amanhã no mercado brasileiro, para alegria das fãs.

O livro é declaradamente inspirado em "50 Tons de Cinza", porém, muitas leitoras afirmam que é muito mais empolgante do que a trilogia de EL James. Será? Para esclarecer essa dúvida, conversamos com a técnica de enfermagem Bianca Benitez, autora do blog "Apaixonadas por Livros", que já leu ambas as publicações.

"Eu sou fã dos dois, mas a série Crossfire é mais quente e os protagonistas são mais adultos e menos bobinhos. Tem romance, porém é mais rude, intenso e muito mais envolvente", garante ela.

Bianca afirma que notou muitas diferenças entre as obras: "‘Toda Sua’ é mais bem escrito e o jeito mais rude de Gideon é o diferencial da publicação. É o que conquista", diz. "Quem é fã de literatura erótica deve ler essa série, pois com certeza será conquistada por Gideon em todos os sentidos", completa.

A técnica de enfermagem revela que enquanto no livro "50 Tons de Cinza", o foco é romance e dominação, em "Toda Sua" temos um homem mais maduro e quente. "O livro é mais picante e vulgar em alguns momentos, no entanto, Gideon nos conquista de uma maneira tão poderosa que essa parte acaba não sendo tão importante", relata.

Sobre o sucesso da venda de livros com pegada erótica, Benitez acredita que as mulheres sempre leram publicações com esse viés, pois os romances de banca não fazem muito barulho, mas sobrevivem há anos com suas leituras assíduas e neles - e em alguns romances lançados por grandes editoras - têm um toque de erotismo.

Além disso, ela afirma que a propaganda feita para 50 Tons de Cinza veio como que um divisor de águas e abriu os olhos do grande público para esse tipo de leitura como, "Toda Sua", "Bem Profundo", "Algemas de Seda", entre outros títulos que vieram para consolidar o fato de que o gênero vende e as mulheres estão ávidas por eles.


"A fuga da realidade monótona e o tom de romance com pegada muito hot para apimentar suas vidas com maridos e namorados são alguns motivos que levam as mulheres a se interessarem por este tipo de literatura", opina a blogueira.

No julgamento de Bianca, as leitoras já gostavam de ler publicações eróticas, mas faziam isso em PDF ou em grupos na internet. Tudo na obscuridade. Algo que não existe mais. "Eu gosto do gênero. Romance é bom, mas quando tem essa pegada quente fica mais adulto e real", finaliza.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente