Produtora detalha as preferências femininas em filmes eróticos

O que elas gostam nos filmes eróticos

Erika Lust. Foto Reprodução Facebook

Os números comprovam que as mulheres estão cada vez mais interessadas em conteúdos pornográficos. Segundo a Playboy do Brasil, que abrange os canais Playboy, TV Playboy, TV Movies, Venus, Private, Sexy Hot e For Man, fez um levantamento em 2009 e concluiu que 50% dos assinantes do Sexy Hot são mulheres.

E esse interesse não é somente no Brasil. O canal holandês Dusk!, criado em 2007, exibe pornografia sete dias por semana, 24 horas por dia para a audiência feminina. Segundo o jornal The Guardian, já são mais de 1,2 milhão de telespectadores.

Diante desse novo cenário, as produtoras passaram a voltar seus olhos para esse público. Lá fora, Erica Lust faz sucesso produzindo filmes de conteúdo erótico para o público feminino. Aqui no Brasil temos como exemplo a Brasileirinhas. Segundo Zuleica Sanches, gerente comercial da produtora, os temas e roteiros são definidos com a ajuda das próprias mulheres.

"Recebemos muitos e-mails pelo site e temos também o retorno dos clientes da vídeo locadora onde nosso canal de ligação é bastante estreito. Sempre damos abertura para sugestões e comentários", explica.

Diferente dos filmes pornográficos voltados para o público masculino, que traz cenas de dominação e uma mulher servindo de objeto para as fantasias sexuais dos parceiros, os trabalhos que chamam a atenção das mulheres precisam de um toque diferenciado. "O publico feminino se encanta mais com filmes que misturam romantismo, erotismo e pornografia. Por isso essas produções ficam mais caras", esclarece Zuleica.

Além do toque de romantismo, Zuleica enumera outras características dos filmes eróticos que ajudam a chamar a atenção do público feminino: "Muito beijo na boca, tomadas de câmeras mais longas da mão do homem acariciando o corpo da mulher, mordidas na orelha e nuca e o movimento do vai e vem de maneira mais lenta e provocante."


Na internet, a procura também é grande. Segundo levantamento do site The English Netmums feito em 2010, 60% das entrevistadas disseram que procuram pornografia ao lado dos parceiros. Para a gerente comercial da Brasileirinhas, as mulheres passaram a enxergar o vídeo pornô sem discriminação a partir das produções feitas pelas celebridades, em 2004. "Isso fez com que elas pudesse matar a curiosidade e ver que o vídeo pornôs é mais um instrumento de prazer".

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente