Orgasmo Duplo - o que é?

O que é o tão desejado orgasmo duplo

Foto: BDLM/cultura/Corbis

Quanto maior for a entrega, maior será a troca entre o casal e os momentos de prazer. Em meio a beijos e carícias, as mulheres anseiam em atingir o tão falado orgasmo duplo.

Segundo a sexóloga Walkíria Fernandes as pessoas definem dois tipos de orgasmo: o vaginal e o clitoriano. Há quem diga que o orgasmo duplo não é aquele obtido pelo estímulo do clitóris e da vagina ao mesmo tempo (penetração mais manipulação do clitóris), mas sim, um orgasmo seguido do outro.

"Após o primeiro orgasmo, a excitação não vai embora de repente, ela vai diminuindo aos poucos. Algumas vezes, a mulher fica com muita vontade de repetir a dose, aí pode continuar se estimulando com fantasias sexuais e masturbação e, assim, conseguir ter um orgasmo múltiplo, que vem em seguida do anterior", comenta a sexóloga, escritora e palestrante Carmen Janssen.

Carmen defende também que a denominação "orgasmo perfeito" não existe. Orgasmo é orgasmo. É ou não é. E quando é, é sempre bom. "Às vezes ele vem menos intenso, mas não é imperfeito. As sensações prazerosas, a satisfação e o relaxamento que o seguem fazem um bem danado para o corpo e a mente", esclarece.

A sexóloga Walkíria explica que, cientificamente, as reações do nosso corpo quando ocorre o orgasmo são as mesmas. O que muda é o local do estímulo. "O clitóris tem muito mais inervações que o canal vaginal. Assim, na maioria das vezes, mesmo que o orgasmo seja alcançado pela penetração, o atrito provocado no clitóris pela base do pênis, no movimento de entrada e saída do pênis na vagina, normalmente é que desencadeia o orgasmo", explica.

No entanto, como o orgasmo é um ato reflexo, Walkíria lembra que ele pode ocorrer mesmo com ausência das preliminares. Isso não é impossível. Carmen concorda: "O corpo pede uma estimulação física, mas como o desejo e o tesão estão na mente, é possível um orgasmo até mesmo sem a manipulação do clitóris. Algumas pessoas têm orgasmo dormindo ao sonhar com uma cena erótica", revela.

Felizmente não existem regras para se obter um orgasmo. E vale lembrar que, se a mulher levar para a cama as suas preocupações do dia a dia, não alcançará um bom nível de excitação e lubrificação e o orgasmo pode nem ocorrer. "Pensando nisso, as preliminares ajudam a fazer com que a pessoa vá se desligando do mundo lá fora e se ligando progressivamente no momento a dois", avalia Walkíria.

Na hora de ir para a cama a mulher precisa ter em mente também que o seu orgasmo não depende de parceiro. Ele é importante para estimulá-la, desde que ela já conheça o próprio corpo e saiba como gosta de ser tocada. E existem posições que favorecem o estímulo do canal vaginal e do clitóris ao mesmo tempo, provocando o prazer nas duas regiões. "A mais tradicional é a antiga ‘papai e mamãe’. É sempre bom lembrar que isso vai depender de cada mulher", adianta Walkíria.

Outra dica para garantir uma boa noite de prazer é não se preocupar com o que irá acontecer no ato sexual. "Deixe-se levar pelo momento. Quando existem expectativas de obter o orgasmo, normalmente ele não ocorre", diz Walkíria. Carmen completa: "Não se iluda, pensando que com dois orgasmos a noite será melhor. Não é a quantidade que conta para a satisfação plena, mas a maneira como é vivida a experiência", conclui.


Juliana Falcão (MBPress)

Comente