"O orgasmo ainda é uma dificuldade, um tabu", diz Laura Müller

Laura Müller fala sobre orgasmo

Foto: Zé Paulo Cardeal/Divulgção TV Globo

Um dos quadros mais esperados do programa global "Altas Horas" é aquele comandado pela sexóloga Laura Müller. De maneira imparcial e bem didática, ela tira as dúvidas que os jovens cismam em dizer que são do amigo, do primo ou da tia.

Querida pelo público por não se mostrar espantada diante das mais cabeludas perguntas, Laura é parada em diferentes lugares para tirar dúvidas sobre sexo. "A Polícia Federal já me parou uma vez, e eu falei ‘fiz alguma coisa?’, e ele, ‘não é uma perguntinha’, enfim, é muito engraçado", disse a sexóloga em entrevista exclusiva ao portal Terra".

Laura pensa que o sexo é um tabu ainda na nossa cultura. E uma das formas de desmistificar o assunto seria colocando-o dentro das escolas. Só que a medida exige capacitação dos professores e mobilização da sociedade como um todo e da própria escola. "Os pais também devem ser contemplados. Precisamos abrir espaços para discussão, para a gente olhar de uma forma mais saudável e mais prazerosa."

Entre os tópicos que mais mexem com a mulher é o orgasmo. Segundo a sexóloga quando a mulher não alcança o clímax encara como uma falha. E o peso que se coloca nessa situação dificulta ainda mais o prazer.


"O orgasmo ainda é uma dificuldade, um tabu. E a gente pode falhar sim, somos seres humanos. Então, de vez em quando não ter orgasmo é natural", diz. "Viemos de uma educação sexual bastante repressora, principalmente com a sexualidade feminina. Na época das nossas avós e bisavós a mulher não podia ter orgasmo. Isso é uma conquista dos últimos tempos", ressalta.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente