O desejo já não é mais o mesmo...

O desejo já não é mais o mesmo

Quando uma relação amorosa começa, o fogo que queima no coração corre pelo corpo, salta os olhos, deixa mãos mais leves e assanhadas. Transforma em arrepio o toque. Libera sensações quase indescritíveis. É no início que a cama ferve. Não importa se o dia foi cheio. Se o salário atrasou. Se a chuva isolou a cidade. O sexo, no início de qualquer relacionamento, é a pimenta boa do conhecimento mútuo. O ruim é quando ela deixa de temperar e começa a perder o gosto.

A personal sexy trainner Fátima Moura diz que o tempo de duração do desejo sexual no início do namoro varia de casal para casal. Não há uma regra que determine uma data derradeira. "Mesmo assim, percebo que esse desejo normalmente dura nos três primeiros meses. Mas é perfeitamente possível fazer com que dure mais", garante. Ufa.

E como é possível fazer com que essa chama não se apague - ou apague mais devagarzinho? "Ela só se apaga mesmo se o casal permitir que a relação caia na rotina. É preciso criar novidades, construir o relacionamento dia após dia. Imaginação conta bastante para manter a chama acesa".

Fátima reitera que não é tempo que determina a diminuição do desejo. A chama boa pode se apagar por conta tanto da correria do dia-a-dia como até pela ingestão de medicamentos antidepressivos. E aí, o santo diálogo pode ser uma mão na roda. "O casal não deve guardar mágoas. O que falta nos casais é a conversa. É preciso falar o que te agrada e o que te faz bem".

Além disso, é importante entender que, realmente, com o tempo tudo na vida esfria. A boa notícia é que existem sim casais que se mantém ‘quentes’ mesmo depois de muito tempo, deixando esse friozinho sempre pra depois. "Se você partir do princípio que tem sempre alguma coisa a aprender e algo a conquistar, consegue manter", aposta Fátima.


Maturidade e readaptação são necessárias para aceitar que a relação realmente se modifica com o tempo. E aí entra, mais uma vez, o diálogo. "Quem dita as regras da relação são os dois. A sexualidade não inclui só o ato sexual, também existe carinho, beijo e abraço. Às vezes, vale mais um banho a dois juntos do que uma relação mal feita". E não importa se é ou não o início da relação.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente