Nelson Rodrigues - amor e sexo em 17 versões

100 anos de Nelson Rodrigues

Cena de “17 X Nelson — Parte 2 — Se Não É Eterno Não É Amor”. Foto: Divulgação

Este é o ano do centenário de Nelson Rodrigues. Em São Paulo, o polêmico e talentoso jornalista e escritor que soube como ninguém traduzir em espetáculos a alma do ser humano no amor e no sexo recebe uma série de homenagens.

Quem é fã do também dramaturgo não pode perder a peça "17 X Nelson — Parte 2 — Se Não É Eterno Não É Amor", do diretor Nelson Baskerville. O trabalho reúne partes de dezessete grandes peças teatrais em um único espetáculo. O diretor define o trabalho como um grande trailer, com as melhores cenas.

O "Parte 2" no título da peça se deve por esta ser uma remontagem de um espetáculo criado, também por Nelson Baskerville, em 2005. Carol Carreiro, atriz integrante do elenco, conta que "17 X Nelson" recebeu uma nova abordagem, por conta do complemento "Se Não É Eterno Não É Amor".

O trabalho deste dramaturgo muitas vezes é associado ao sexo, até por isso recebeu o apelido de "O Anjo Pornográfico". Porém, a atriz discorda desta predileção pelos temas voluptuosos. "Sexo é só parte do universo de Nelson Rodrigues. O tema central de sua obra, como o próprio autor chegou a dizer, é o amor. Ou melhor, o amor e a morte, a coexistência destes", opina Carol.

100 anos de Nelson Rodrigues

A atriz Leandra Leal em cena no clássico “Vestido de Noiva”, em 2009. Foto: Divulgação

A atriz confessa que interpretar personagens tão intensos e de um autor de tanta originalidade pode intimidar, e que encenar Nelson Rodrigues é sempre um desafio. "Desafio pra não cair no óbvio, no clichê, no superficial. É por isso que acho que intimida um pouco sim", explica Carol. "São personagens fortes, profundamente humanas (para o bem ou para o mal) e explícitas emocionalmente. Mas ao mesmo tempo, é uma delícia, um privilégio", completa.

Ainda sobre a obra de Nelson, a atriz expõe seu ponto de vista: "Nelson Rodrigues explorou - sem nenhum pudor - o ambiente familiar brasileiro, em especial o da classe média carioca. E nesse âmbito, tratou de amor, morte, incesto, fidelidade, sexo, beleza, desejo, tabus religiosos, enfim, as relações humanas sob uma ótica peculiar a ele, mas nem por isso improvável ou irreal."

Carol conta que não é possível saber com exatidão o que o público sente durante o desenrolar da peça "17 X Nelson — Parte 2 — Se Não É Eterno Não É Amor". Na visão da atriz a percepção é sempre muito pessoal, tanto de quem está no palco, como da plateia. Porém, garante que há uma ótima receptividade. "Sentimos que não faz diferença ter ou não ter um conhecimento prévio da obra Rodriguiana, para que, de alguma maneira, algo aconteça ao espectador. Nelson Baskerville é um diretor muito intenso e sensível e isso é possível sentir de ambos os lados", garante.

Por 2012 ser o ano do centenário de Nelson Rodrigues são esperadas novas montagens, principalmente na cidade de São Paulo. É provável também que a peça em questão ganhe mais espaço e haja um aumento na temporada. "17 X Nelson — Parte 2 — Se Não É Eterno Não É Amor" faz parte do projeto "Quem Ainda Tem Medo De Nelson Rodrigues?".


A peça está em cartaz no Teatro de Arena Eugênio Kusnet, localizado na Rua Dr. Teodoro Baima, 94, Vila Buarque, em São Paulo, sempre às quartas e quintas, às 21h30, até 29 de março. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). A bilheteria abre 1h antes dos espetáculos e é vendido apenas um ingresso por pessoa.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente