Namoro e o presente certo

Passado o Dia das Mães (e já devidamente “ticados” da lista a Páscoa, o Carnaval e o Natal), chegou a hora de nos prepararmos para a próxima celebração ao consumo: o Dia dos Namorados!

Alegria para uns (sobretudo para os comerciantes) e tristeza para outros, o Dia dos Namorados sem dúvida mobiliza fortes emoções, expectativas e bolsos. E tudo leva a crer que o “estado civil: namorando” esteja em ascensão.

O raciocínio é simples: se as mulheres estão se casando mais tarde, se o número de separações e divórcios aumenta sem parar e se as meninas começam a se relacionar com meninos cada vez mais cedo, deve haver mais gente namorando por aí. Para eles e para elas, hora de decidir: que presente dar?

Muito fácil para os protagonistas de namoros estáveis, consolidados, rotulados socialmente. Uma indireta aqui, um recadinho bem dado ali, acaba-se chegando ao presente certo.

Mas, e aqueles pobres coitados e coitadas que estão juntos há 1 mês? Dar ou não dar presente? Se sim, investir alto e o correr o risco de parecer excessivo, ou optar por um presente singelo e parecer desinteressado e pão-duro? Aliás, fase complicada a de começo de namoro. Muitas coisas a mostrar, muitas coisas a não mostrar, muitos códigos a decifrar...

Estamos acostumados a ver, na mídia, um sem-fim de matérias sobre como uma mulher deve se comportar para conquistar e manter um namorado. Já dicas deste tipo dadas aos homens, não se vêem com a mesma freqüência.

Neste sentido, interessante uma matéria publicada na mídia americana, já há algum tempo, mas ainda muito atualizada. A matéria foi escrita por quatro mulheres da 3iYing, uma empresa especializada em marketing para garotas de 15 a 25 anos. Numa linguagem bem-humorada, elas fornecem dicas sobre o que fazer e o que não fazer para um homem conquistar uma “garota moderna”. E diagnosticam: o marketing voltado ao romance está totalmente desatualizado e não retrata as profundas mudanças por que passaram as expectativas das garotas nos últimos anos, e que redefiniram quem elas consideram ser um homem interessante.

Por exemplo, as garotas adoram planejar a agenda social do casal, organizar viagens, jantares entre amigos etc. Um cara será considerado sexy se surpreender sua companheira com a iniciativa de um programa criativo para o final de semana. Dica às empresas de entretenimento e viagens: criem uma comunicação que favoreça a que os homens se mobilizem para isso.

Outra: garotas ocupadas, como são as garotas modernas, acham muito atraentes os homens que “batem um bolão” nas tarefas domésticas. Dica às empresas de produtos alimentícios: ensinem os homens a fazer um super jantar-a-dois. E deixar a cozinha em ordem depois.


Mais do que aos homens, os alertas da matéria servem às marcas, já que as dicas se traduzem em oportunidades de produtos e de comunicação. As autoras afirmam: as marcas que contribuírem para o reposicionamento de certos comportamentos masculinos conquistarão, de quebra, a eterna gratidão das mulheres.

Uma a Uma é uma empresa de inteligência de mercado especializada no público feminino. As sócias e colunistas do Vila Mulher, Denise Gallo e Renata Petrovic, ajudam a entender melhor e desvendar as várias faces da mulher contemporânea. Contato: umaauma@umaauma.com.br

Comente