Namoro banho-maria - como sair do relacionamento morno?

Namoro banhomaria

Ninguém é obrigado a viver na rotina. Claro que não dá para ir a lugares diferentes, preparar jantares especiais e fazer posições sexuais inovadoras todos os dias. Mas quando o casal - ou uma das partes - não se esforça nenhum pouco para quebrar a mesmice é sinal de que o namoro anda morno demais.

Para saber como identificar a hora em que a chama perder força e como reavivá-la, resolvemos pegar dicas da mulherada. "Para mim, namoro morno é aquele no qual os dois não sentem falta um do outro, quando ficam alguns dias sem se ver e, quando estão juntos, não fazem muita questão de aproveitar, de fato, a companhia um do outro", opina a jornalista Daniela Teixeira, de 26 anos.

Não precisa ser expert no assunto para descobrir se o namoro está morno ou não. Relacionamentos são sinônimos de doação, de lapidação, de interesse em estar com o outro e de saber mais sobre a vida do outro. A partir do momento em que essas ações não são colocadas em prática com certa frequência, pare e procure saber o que está acontecendo.

A radialista Laura Moura, de 25 anos, dá um exemplo: "Namoro morno é quando o cara acorda um pouco mais tarde do que o normal no domingo e você liga toda feliz e diz: "e aí more, vamos nos ver?’ E ele te responde (com voz de sono, claro): ‘Ah, amor, está tarde já, ainda estou deitado...’ E você, respeitando o desejo de seu namorado, acaba concordando com o descanso extremo dele e passa o fim de semana assistindo TV." Se essa cena se repete mais vezes do que você gostaria, fique atenta!

Laura comenta ainda que é muito bom cada um ter sua independência dentro de um relacionamento e é uma delícia ficar em casa com o namorado no sofá vendo um filme, sem preocupação nenhuma. Porém, defende: "Fazer coisas diferentes sempre reativam a paixão. Usar a criatividade em todos os momentos, seja nos mais íntimos ou nos mais descontraídos, vale a pena, senão cai na rotina. As pessoas se acomodam, acham que depois de um tempo, já sabem tudo que o outro gosta e ficam na mesmice."

Daniela acredita que todo relacionamento passa por essa fase, mas nem por isso é um problema sem solução. "Isso vai depender de muito esforço de ambas as partes. Os dois devem ter esse mesmo objetivo, porque superar esse marasmo e a rotina exige um alto teor de boa vontade. Para isso, o sentimento precisa ser muito forte, porque são justamente nessas horas que ele fala mais alto", afirma.

Carla Conte , de 23 anos, dá uma sugestão: "Acredito que uma saída seja lembrar e refazer as coisas que davam prazer ao casal no começo do namoro, como ir para baladas juntos, um jantar bacana, o que quer que seja, para ver se conseguem trazer de volta aquele sentimento de antes".

A jovem Laura também se mostra otimista. "Se eu e meu namorado gostávamos de jantar em um lugar específico, não significa que temos que ir jantar sempre naquele lugar. O legal é fazer surpresas diferentes, pois aquecem a relação e criam novas expectativas."

Para Daniela antes da prática vem a teoria. Ou seja, comece a mudança com um bom diálogo. "Expresse suas impressões e frustrações e veja se, a partir dali, é possível buscar uma solução. Em caso positivo é necessário tentar fugir de tudo aquilo que lembra rotina. Procurar sair para lugares diferentes, fazer passeios a dois que o casal não estava acostumado a fazer, enfim, usar a criatividade.


Agora se mesmo assim não dá certo, por mais difícil que seja, é hora de refletir e ver se vale a pena manter a relação. "O namoro morno também pode ser sinal de que o sentimento acabou e que aquelas pessoas continuam juntas porque estão acostumadas com a companhia uma da outra". Laura completa: "Vale a pena fazer uma reflexão interna e ver se o namoro não é apenas um comodismo ou medo de não se ver sozinha."

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: relacionamento namoro namorado fim namoro amor