Meu parceiro sofre de impotência sexual. E agora?

Homem triste

“Isso nunca aconteceu comigo antes”. Essa frase já foi dita em muitos filmes e novelas, após tentativas frustradas de desempenho em relações sexuais, e também inúmeras vezes na vida real. A impotência sexual, uma disfunção erétil que incapacita o homem de obter ou manter ereções suficientemente rígidas para a penetração vaginal, é algo que assusta o público masculino.

Para que as mulheres entendam, a causa pode ser orgânica, alteração anatômica, problema físico ou a idade. Segundo Joaquim Claro, médico urologista e professor da Universidade de São Paulo, quanto mais velho for o homem, maior a chance dele ter uma disfunção erétil. “A diabetes, doenças vasculares, doenças cardíacas, pressão alta, cirurgias realizadas na perna perto da genitália ou até mesmo colesterol alto podem causar a impotência”, diz.

Problemas psicológicos, como ansiedade, troca de parceira, ócio, perda de emprego, estresse e depressão, entre outros, também podem influenciar no desempenho do homem na hora do sexo. Mas o principal fator de risco ainda é a idade.

Aos 40 anos, cerca de 40% dos homens têm disfunção erétil, ainda de acordo com o especialista. Aos 50, 50%, e assim por diante. “O crescimento é intimamente ligado ao aumento da idade”, explica.

Em relação aos homens mais jovens, o risco de disfunção erétil por causa orgânica é quase desprezível. O que causa a impotência neste caso é a pressão da nova sociedade. “Com a liberação do sexo entre parceiros que não se casaram e o sexo casual, a pressão aumenta, a ansiedade fica muito grande e as pessoas se tornam competitivas. O homem tem medo que a mulher o compare com outros”, afirma Claro.

Apesar do susto inicial, os homens não precisam se preocupar, pois existe tratamento para toda forma de disfunção erétil. O primeiro passo são os medicamentos inibidores da fosfodiesterase, as famosas pílulas azuis. Eles resolvem cerca de 60% dos casos. Também existem as injeções penianas, que podem ser a solução para quase 100% dos homens. Quem não ficar satisfeito com essas opções, pode recorrer à cirurgia de prótese peniana. “Ela é muito aceita hoje em dia. As próteses estão muito boas”, garante o especialista.

Para os casos de impotência por problemas emocionais, são indicados alguns remédios. “Assim que o estresse diminui, a medicação também é menor”, finaliza o especialista.

Fonte - MBPress

Comente