Galãs do metrô: fetiche da mulherada?

Galã do Metrô

Foto - Divulgação/Veja.

Um dos assuntos mais comentados nas redes sociais das últimas 48h é o mais novo galã do Metrô, o segurança Guilherme Leão. Interessante é notar que esse não é o primeiro guarda do transporte que se destaca por sua beleza. Será que a farda dos guardinhas se tornará o próximo hiper fetiche feminino?

Não é segredo para ninguém que as fardas são queridinhas no quesito fantasia sexual de muita gente - vide o sucesso dos bombeiros, policiais e militares nos clubes de strip femininos. Surpresa é a atenção que os fortes guardas da malha ferroviária paulistana vêm recebendo, a exemplo dos 15 minutos de fama do galã da linha amarela, Rodrigo Nogueira.

Na opinião da jornalista Letícia Maciel, de 22 anos, as atenções vão ficar cada vez mais focadas nos trabalhadores da Companhia Metropolitana de São Paulo. "As mulheres, com certeza, vão começar a fetichizar e prestar mais atenção nos guardas. Principalmente para saber se tem mais gente bonita trabalhando de farda (risos)", afirma.

A moça, que já havia reparado em Guilherme Leão muito antes de sua hiperexposição nas redes sociais, acha engraçado o rapaz só ter ganhado a fama agora e confessa uma quedinha pelos uniformes. "É muito elegante e deixa qualquer homem com aparência de mais forte", diz.

Gabriele Farias, de 24 anos, também acredita no poder das fardas. "Acho que uniformes em geral mexem, sim, com as fantasias alheias. Basta ver o encanador, o bombeiro e outras profissões que até podem ter um menor ‘prestígio social’, mas geram fantasias do mesmo jeito", explica.

Vitória Piton, de 19 anos, admite que os uniformes façam parte do imaginário feminino, mas dá todo o crédito do sucesso do guardinha à sua notável beleza. "A questão não é o moço ser do Metrô ou de qualquer outro lugar, a questão é que o rapaz é lindo e tem aquele jeito de ‘homão’", justifica a universitária.

Gabriele tem o pé atrás quando se trata de toda essa atenção recebida pelo modelo da Sé e por outros profissionais da área. "Tenho um pouco de medo de os guardas começarem ficar ousados demais graças à fama. Vejo o cara dando em cima da menina, lá pelas dez da noite e ela vai achando que o rapaz é legal. Mas ele pode acabar não sendo", alerta.

Se pudesse mandar uma mensagem ao mais novo queridinho da capital paulista, Gabi levantaria o tópico: "Diria: ‘aproveite seus 15 minutos de fama, sinta-se o ‘gostosão’ com as olhadas que recebe, mas se atente à ética. Esse é um ambiente de trabalho como todos os outros e as usuárias são suas clientes. Portanto, trate-as com todo respeito do mundo e evite se envolver1", revela ela, que também alertaria as mocinhas: "Pensem bem antes de ir atrás, porque vocês não conhecem a índole do bonitão!".

Se tivesse a oportunidade, Letícia elogiaria o trabalho de Guilherme: "Eu diria que, além de ser lindo ele está de parabéns por ser simpático e atencioso com qualquer pessoa. Ele mostra que não é só um rostinho bonito, mas muito simpático também", alega.

Já Vitória seria direta na cantada: "Eu soltaria um ‘Moço, você não merece palmas. Merece o Tocantins inteiro’".

E você? Já começou a reparar mais nos nos seguranças do Metrô?


Por Juliany Bernardo (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: fetiche homens galãs galã metrô