Filmes pornôs - mulheres que trabalham atrás das câmeras

Produtoras de filmes pornôs

Sweetie Bird, 29 anos, é blogueira, cozinheira, dançarina de burlesco e produtora

O público consumidor de filmes eróticos não para de crescer e no Brasil não é diferente. Embora apenas 20% dos consumidores sejam do sexo feminino, segundo a Associação Brasileira do Mercado Erótico (Abeme), este número tende a crescer. Já é possível notar que elas não atuam apenas como atrizes, há também as que se encontram atrás das câmeras de filmes pornôs.

Um exemplo disso é a sister Mayara Medeiros que antes de entrar no Big Brother Brasil também atuava como produtora e já contou os detalhes da sua carreira em entrevista ao Vila Mulher.

Já Sweetie Bird, 29 anos, é blogueira, cozinheira, dançarina de burlesco e produtora. Entre outras coisas, a moça produz filmes pornográficos. Ela conta que o gosto por produzir, escrever e dirigir surgiu ainda quando criança. "Eu juntava as minhas amiguinhas, inventava uma peça, criava o texto e dirigia o teatrinho no quintal de casa."

Bird conta que acabou entrando no mercado de pornografia por acaso. Ela trabalha na X-Plastic, produtora de estilo alternativo, o chamado alt porn, assim como Mayara. A X-Plastic ganhou destaque em 2006, com a produção independente "Overdrive", o primeiro filme brasileiro do gênero. De lá para cá vem conquistando cada vez mais espaço.

Além de produzir ela também entra em contato com os demais participantes do trabalho, como atores, providencia o espaço em que serão feitas as imagens, pensa a maquiagem que será feita e produz o figurino, roupas e acessórios que serão usados no longa. "É muito mais difícil maquiar e produzir quando os atores estão sem roupa", conta Bird.

Antes de iniciar na produção de filmes, Bird fez produção de moda e escreveu para o blog "Sexo na Cidade", publicado no site "Época São Paulo", e fazia apresentação de danças burlesco. "Em conversas com uma das criadoras do burlesco acabou surgindo a ideia de eu levar outra paixão para o vídeo. Adoro cozinhar, mas gosto de fazer isso sem roupa, então criamos o "Cozinha ao ponto".

Produtoras de filmes pornôs

Mayara Medeiros, participante do BBB 12, na época da foto era produtora de filmes pornôs

Na atração, Bird recebe um convidado, realiza uma entrevista enquanto prepara um prato. Tudo isso nua, claro. "A pornografia, neste caso, está muito mais nas palavras do que nos atos, digamos um sexo oral", se diverte. "Usamos malícia para falar e preparamos o prato de acordo com o perfil do convidado", completa.

A produtora conta que um bom filme pornô, assim como qualquer outro, tem que ter começo, meio e fim, mas que infelizmente na maioria deles só há meio e fim, ou só fim. "É legal quando o longa tem enredo. Estou com um projeto, criando o roteiro de um filme erótico que se baseia em vários clássicos da década de 30 e 40. Quero levar um toque mais burlesco para a pornografia", revela.


Ela diz não fazer planos para o futuro. O roteiro citado acima é a sua meta, mas não sabe se vai ter outra ideia genial para já planejar outros filmes. "Não entendo porque as pessoas têm tanto pudor em falar destas cosias (sexo)", desabafa. "Quem quer produzir tem que ter conteúdo. A produção é feita de tentativas, até existem cursos, mas só se aprende fazendo. Além disso, não pode ter nojo se precisar limpar ‘caquinhas’ de cena", alerta.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente