Escrever um diário “sexual” ajuda

Por que será que tantas mulheres em pleno século XXI, ainda têm dificuldade para reagir sexualmente? Para falar de sexo com o parceiro, com amigos? Para se soltarem como gostariam?

Um fator que atrapalha a vida sexual de algumas mulheres não está no trabalho, na rotina, no parceiro, mas dentro delas mesmas; é o que elas pensam sobre sexo. Muitas de nós fomos educadas para manter o controle e reprimir os assuntos relacionados a nossa sexualidade. Além disso, o Brasil é um país majoritariamente católico. Ao recriminar os métodos anticoncepcionais, a Igreja condena o sexo prazeroso e reafirma apenas a maneira de perpetuar a espécie.

Sem contar com os mitos que existem, como por exemplo: sexo é proibido, pornográfico, difícil... Portanto, sob todas essas pressões não é fácil se liberar e falar de sexo com naturalidade. Mas os desejos que conduzem a felicidade não devem ser reprimidos, muito pelo contrário, isso poderá levar a uma vida de frustrações e sentimentos mal resolvidos que influenciarão nossas atividades de forma negativa.

O sexo não é apenas uma necessidade orgânica, transar é uma necessidade emocional: a mulher sente-se mais desejada, bonita e poderosa para conquistar seus objetivos, além de libertar o corpo e a mente do estresse e da vida cotidiana. O sexo é uma demonstração de carinho e amor e isso só fortalece o relacionamento, pois o casal se diverte e curte a companhia um do outro.

Um bom ponto de partida para desfrutar de uma vida sexual mais prazerosa e com total segurança, é pensar sobre alguns dos fatos de sua vida que influenciaram os seus sentimentos e atitudes relacionadas ao sexo. Por isso, fazer o seu “diário sexual”, poderá ajudá-la a obter um quadro de sua própria história sexual. Não tenha pressa para responder as perguntas abaixo, procure concentrar-se aos sentimentos e atitudes relativas ao sexo e a você mesmo.

Qual é a minha história? Esta é a primeira pergunta que você deve se fazer. Entre em contato com a sua feminilidade, com o que há de mais íntimo e essencial em “ser mulher”, por isso aproveite essa seção de autoconhecimento. Lápis e papel na mão e prepare-se para responder as seguintes perguntas e traçar um plano de mudanças para tornar a sua vida sexual mais saudável e feliz:

1 - Será que estou pronta para mudanças? (mudar de vida com responsabilidade, requer muita coragem, disciplina, determinação para enfrentar as dificuldades, preconceitos, as relações alheias e até mesmo tudo aquilo em que você sempre acreditou em relação ao sexo).

2 - O que quero em relação ao sexo? (é necessário saber se você quer conquistar o prazer que nunca teve, livrar-se de medos ou simplesmente deixar a relação mais apimentada).

3 - Eu me vejo como uma mulher sexy, bonita, atraente e sensual?(é preciso conhecer a imagem que você faz de si mesma para constatar se o problema na hora do sexo é a vergonha do próprio corpo).

4 - Aceito o meu desejo sexual com naturalidade? (muitas mulheres ainda acham que ter fantasias sexuais, ter vontade de fazer sexo e sentir prazer é errado ou pecado e mesmo que gostem, não conseguem se soltar por completo na hora da transa).

5 - Quais são minhas principais dúvidas, medos, conflitos, dificuldades e angústias? (para combater o inimigo é preciso conhecê-lo primeiro. Muitas pessoas não conseguem mudar porque não entendem ou pior ainda, não aceitam os que as faz se sentir pouco a vontade na cama. Listando seus medos, vergonhas e outros fatores que a reprimem, fica mais fácil saber por onde começar).

Você poderá acrescentar mais perguntas ao seu histórico se achar necessário.

Responda as perguntas calmamente. Conhecimento sem ação não leva a lugar nenhum. Por isso depois de anotar todas as respostas para as suas perguntas, chega o momento de traçar um plano de mudança para a sua vida sexual.

É preciso ser corajosa para desafiar suas convicções e as das outras pessoas e planejar sua vida rumo ao sucesso e a felicidade.

Boa sorte!

Fátima Mourah é “Personal Sexy Trainer”, professora de artes sensuais e autora dos livros “Sexo pra mulheres casadas” e “Sexo, amor e sedução”. Dá palestras e cursos de striptease, pompoarismo, pole dancing, como atingir o orgasmo e massagem erótica

Comente