Escandalosas durante o sexo

Escandalosas durante o sexo

Foto: Hans Neleman/Corbis

Quando o clima esquena no quarto fica difícil controlar as emoções. Todo o nosso organismo parece acelerar. O coração bate mais rápido, o corpo começa a transpirar, a pele fica mais sensível ao toque, parece faltar saliva na boca e a respiração passa a ser mais rápida e profunda. Entre tanta coisa acontecendo é possível que apareçam gemidos mais indiscretos.

O que fazer quando simples gemidos se tornam gritos descontrolados? Quem nunca ouviu coisas parecidas pelos corredores de motéis ou até mesmo sons vindos dos apartamentos vizinhos? Mas por que tem gente que faz "escândalo" durante o sexo? Para a psicóloga e psicanalista, pesquisadora de campo e diretora executiva da EclipseLove, Eliete Matielo, esta é uma forma de extravasar as emoções.

"Sempre achei estranho mulheres que fazem muito barulho durante a relação sexual, mas de um tempo para cá mudei de opinião. Depois de uma maior experiência passei a fazer muita coisa que julgava estranha. Hoje acredito que a reação pode mudar de parceiro para parceiro. Há relações que são mais intensas", diz Marcela Tedesco, 29 anos, designer de interiores.

Mas e quando o que é emoção se tornar um grande mico? Foi o que aconteceu com Tânia Bueno, 24 anos, estudante de direito. Ela estava com o namorado na casa dele. Os dois estavam sozinhos e o clima esquentou. Então decidiram ir para o quarto do rapaz. Na hora H ela não conteve os gemidos mais altos e faz aquele escândalo. "O pior é que, por causa dos meus próprios gritos, não ouvimos quando a minha sogra chegou. Quando saímos do quarto demos de cara com ela, na sala. Foi o maior constrangimento da minha vida, embora ela até tenha brincado com a situação", lembra Tânia.

E eles, será gostam da reação? Para Eliete Matielo os homens gostam e se sentem ainda mais excitados com isso. "Eles se sentem poderosos, potentes e com mais vigor", afirma a psicóloga.

Acontece que nem todos os homens são iguais, será que todos se sentem tão bem com esse comportamento feminino? "Eu e meu marido sempre tivemos um relação madura e um diálogo aberto. Ele disse, com jeitinho, que não gostava quando eu perdia o controle na cama e aumentava o volume dos gemidos", revela Andrea Nascimento, 32 anos, gerente de loja. "Trabalhamos juntos essa questão e hoje lido muito bem com o controle dos gemidos. Claro, às vezes dá aquela escapadinha", completa.


Eliete ressalta que é preciso cuidado para que a animação não ultrapasse o limite e passe a parecer falsidade. "Os homens podem associar os gemidos exagerados aos sons de filmes pornográficos. Isso irá gerar insegurança sobre a veracidade daquela reação da parceira. Eles podem pensar que elas estão fingindo apenas para agradá-los", finaliza a psicóloga.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente