Ensaio sensual para aprender a se valorizar e apimentar a relação

Ensaio sensual para aprender a se valorizar e apim

Foto: divulgação

Principalmente depois que a novela "Viver a Vida" trouxe a personagem Ingrid, vivida por Natália do Valle, tirando fotos de mulheres de todos os tipos físicos e idades, a onda pipocou por aí. Os programas de televisão agora têm quadros que fazem transformação e fotografam o resultado em ensaios belíssimos. Os fotógrafos então descobriram de vez esse nicho e se especializaram. E não precisa ter corpo violão, nem sex-appeal a flor da pele. Basta vontade de descobrir, em si mesma, uma infinidade de novas mulheres.

Uma agência que vem fazendo esse tipo de trabalho há algum tempo é a Nude, de São Paulo. A dupla Darcy Toledo e Jane Walter começou fotografando uma amiga e depois a coisa cresceu. Hoje, mais do que entregar um book fotográfico, elas mexem com a autoestima, produzindo ensaios que bem se parecem com aqueles das revistas masculinas.

A ideia é evidenciar o que a mulher tem de melhor, sem vulgaridade ou excesso de Photoshop ou tratamento na imagem. "É um trabalho que não se resume a alguns cliques, mas sim a toda uma produção, que transforma qualquer mulher comum em uma verdadeira diva", defendem. Depois de pronto, mostra o resultado de uma interação entre as profissionais e a cliente, no sentido de deixá-la à vontade para incorporar personagens com toda segurança necessária.

"Nossa linha de trabalho é editorial e os ensaios são totalmente personalizados e realizados em locações externas como motéis e hotéis", contam. "Entre as opções de acabamentos temos a Revista Nude Premium, composta por 40 fotos, 2 posters, índice, editorial, entrevista e conto erótico escrito por uma jornalista em conjunto com a cliente", explicam. Custa R$ 3950. Os preços variam de R$ 2510 a R$ 5250. Embora a empresa seja de São Paulo, as duas atendem também em outras capitais.

As mulheres que buscam esse tipo de trabalho acabam estimulando o autoconhecimento, quebram o tabu que envolve timidez da quase nudez e, de quebra, conseguem apimentar a relação, atendendo o fetiche de muitos maridos e namorados. "A maioria das mulheres é casada e busca o trabalho com o objetivo de elevar a autoestima, apimentar a relação, surpreender o companheiro com algo ousado e inesperado ou simplesmente fazer parte da coleção de revista deles", contam.

Uma das clientes atendidas se lembra do desafio que foi participar de uma sessão dessas. Baixinha, acima do peso, pouco vaidosa e aos 47 anos ela não achava que fosse possível se "transformar". "Mas queria fazer esta surpresa para o meu companheiro há 25 anos", lembra Márcia. E o resultado? "Mudou a minha própria visão sobre mim", conta.

Outra lembra que já tinha uma boa relação com o corpo, principalmente com as pernas. "Mas descobri meu corpo todo e adorei". Além do próprio ensaio, ela fez as fotos também com o marido. "Um casal raramente tem chance de tirar uma foto sensual juntos e essas ‘apimentadas’ que a Darcy inventou não podem ir para um porta-retrato, mas é delicioso ver na companhia do outro", sugere Mariângela. E o marido dela, Wanderley, gostou mesmo do resultado. "Elas conseguiram capturar a essência e toda a sensualidade da minha esposa. Ela está linda como somente eu conheço e dá para perceber em cada expressão dela, em cada pose, toda a feminilidade que sempre me encantaram", se derrete. "Não seria mentira dizer que elas ajudaram, de certa forma, a colocar mais tempero na nossa relação".

Ana Paula também levou o marido ao ensaio e adorou. "Foi uma cumplicidade muito grande, ele curtiu tudo comigo, soube exatamente o que eu estava sentindo. Quando acabou, passamos a noite em uma suíte igual a do ensaio e, nos cinco dias seguintes, ficamos flutuando", lembra.

[galeria]

Documentário

A expressão íntima e pessoal de cada mulher é tão envolvente que, no início do mês, um documentário da televisão francesa identificou esse tipo de ensaio como um dos principais meios para que a mulher brasileira se eternize. Segundo os produtores, os lingeries com cortes menores já ajudam muito na proposta sexy. O nosso clima tropical também influenciaria para que os ensaios feitos aqui sejam melhores que no resto do mundo, assim como o biótipo da brasileira. "Eles não encontraram este formato de ensaio em nenhum outro local onde o documentário foi gravado até agora", conta Darcy.

Para mostrar esse trabalho num filme que se chama "Sex in the world city", Amandine Goisbault veio ao Brasil e convidou a Nude para fazer o making of de um ensaio fotográfico sensual, realizado no Lumini Motel, em São Paulo, e a produção do programa acompanhou todas as etapas, desde a produção, com a escolha dos figurinos, acessórios, maquiagem e cabelo até a hora dos cliques. "Eles fizeram questão de registrar todos os momentos para captar com fidelidade todos os detalhes e o ‘clima’ proporcionado durante a sessão fotográfica", explicam as duas fotógrafas.


O documentário, exibido sempre no canal Paris Première, já foi rodado em cidades como Nova York, Los Angeles e Paris e foca cada episódio em uma capital do mundo, para desdobrar as vertentes da sensualidade dos locais. A nova temporada do "Sex in the world city" está prevista para o final do ano e existe a possibilidade de estrear em algum canal brasileiro.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente