Ele perde a ereção com a camisinha: o que fazer?

Ele perde a ereção com a camisinha

Se falar sobre a própria sexualidade é uma barreira para uma parcela das mulheres, para os homens o desconforto surge quando o assunto é preservativo. Mesmo sabendo que o item é a melhor prevenção contra as doenças sexualmente transmissíveis, perde-se a conta do número de homens que se recusam a usá-lo e chegam a perder a ereção.

Segundo o urologista e sexólogo Dr. Celso Marzano, professor da Faculdade de Medicina do ABC-SP e autor do livro "O prazer secreto" (Editora Eden, 8ª edição), perder a ereção na colocação do preservativo é muito comum. Ele conta que fatores psicológicos como ansiedade, medo de falhar e falta de concentração por problemas diversos são os motivos mais comuns. "É só desviar o foco e perder um pouco a excitação que a queda da ereção é inevitável", diz.

Usar um preservativo que não seja adequado ao tamanho do pênis também contribui para o fim da ereção. "Isso geralmente acontece quando o preservativo é menor e aperta muito o pênis. Esta compressão exagerada pode esvaziar o sangue dos corpos cavernosos do pênis, levando à perda da ereção. Se muito folgada pode sair do pênis, causando a distração do homem e o bloqueio da sua resposta sexual", explica Dr. Celso.

"Para que o homem não perca a ereção durante a colocação do preservativo, a mulher pode usar algumas táticas e erotizar o momento, evitando que ele se transforme em um intervalo que faça o grau de prazer. Masturbação concomitante e sexo oral são os mais eficientes", diz.


Se mesmo você estimulando o parceiro ele se recusar a usar o preservativo é hora de conversar sério. Além de reduzir e muitos os riscos de uma gravidez indesejada, o produto é reconhecido como o único que previne as doenças sexualmente transmissíveis.

Durante o ato sexual, Dr. Celso afirma que a mulher pode provar para o parceiro que preservativo não é chupar bala com papel. "A masturbação ou sexo oral com camisinha pode ajudar a parceira a demonstrar que a sensação de prazer é a mesma", garante.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente