Dicas para o namoro sobreviver

Dicas para o namoro sobreviver

Cumplicidade, intimidade, paixão e diversão. Namorar é um pouco de tudo isso. Mas nem tudo são flores. É na convivência que o casal aprende a lidar com as diferenças. Como escreveu Luiz Fernando Veríssimo: "o melhor do namoro são as brigas. E melhor do que as brigas são as reconciliações. Beijos ainda mais profundos, apelidos ainda mais lamentáveis, vistos de longe".

No início do relacionamento, a vida é dedicada somente ao amado. "É um tal de se produzir no capricho, de conversar com bom humor, de ser bom ouvinte, de disponibilizar um tempo extra para o outro. Às vezes até deixar os amigos ou algumas tarefas de lado, buscando mostrar o seu melhor para o novo objeto de desejo. Depois de um tempo de convivência cada um tende a voltar ao seu andamento da vida, agora com o ‘novo anexo’", diz a psicóloga Cássia Aparecida Franco. E quando o relacionamento ganha uma certa estabilidade começa a fase das críticas e reclamações.

"Por isso, pergunto: O quanto de nós está realmente preparado para ouvir críticas? Levar tudo para o lado pessoal significa interpretar eventuais comentários, perguntas e comportamentos de terceiros como afrontas diretas ao seu próprio valor como ser humano, à sua aparência, competência ou perícia. Ou será que com a melhor das intenções, acabamos fazendo propaganda enganosa de nós mesmos?", avalia a psicóloga.

É nessa hora que os dois se dão conta dos defeitos e qualidades, pontos fortes e fracos. "Ocasionalmente, os parceiros vêem apenas o que desejam ver e percebem o que melhor se ajusta a seu estado mental no momento. Interpretam os fatos através de uma específica e exclusiva lente de aumento". O conselho de Cássia é saber reconhecer isso e fazer um balanço das forças e fraquezas de cada um.

Segundo a psicóloga, a boa comunicação é fundamental para o sucesso do relacionamento. E a tecnologia uma importante aliada. Mas é preciso saber usá-la ao favor de vocês. "Recados em código, discretamente picantes, podem reativar o clima e ser prenúncio de uma noite de romance. Quando a distância for invencível, use o Skype com câmera, modere no tempo, mas capriche na sensualidade e na intenção", indica.

Nos momentos das discussões, Cássia diz que é comum um tentar adivinhar o que o outro está pensando, mais ainda, muitas vezes deixamos a emoção tomar conta e não pensamos o porquê de certos comportamentos do outro.

"Somos seres que interpretamos o mundo através dos significados que imprimimos na mente. Se passarmos a pensar de forma contaminada, os pensamentos determinarão emoções comprometidas que acabarão gerando comportamentos inadequados. Quem já se destemperou sabe que as conseqüências, às vezes, são bem amargas de engolir", aponta.

Em situações como essa, principalmente quando o casal está estressado e "contaminado" com pensamentos ruins, o melhor remédio é relaxar, respirar fundo. E seguir a dica de Cássia.

"Que tal experimentar respirar pelo nariz contando até 10, com o ar inflando a barriga profundamente; prender o ar contando até 10 e soltá-lo pela boca lentamente contando até 10. Pode parecer estranho num primeiro instante, mas após umas 4 repetições, você perceberá que as idéias clarearam, que o coração fica mais manso e as ações muito mais favoráveis. Aliás, um valioso presente é ter alguém a seu lado que consiga rir de si mesmo e que com respeito e consideração consiga ter humor para enfrentar as dificuldades inevitáveis da convivência".


As questões, às vezes, podem ser bem difíceis, mas levá-las na estupidez não vai melhorá-las. Respirar juntos, abraçados, um acompanhando o ritmo respiratório do outro, por apenas 2 minutos pode ser a injeção erótica que você anda procurando". Nada melhor do que uma reconciliação em grande estilo, não?

Por Juliana Lopes

Comente