De olho nas preliminares

De olho nas preliminares

Foto: Tim Pannell/Corbis

Que o ritmo da mulher e do homem na cama é diferente, não precisa ser um expert em sexo para saber. A experiência própria - e das amigas - prova que enquanto um está em ponto de bala para o orgasmo, o outro ainda está preparando o corpo para o prazer. Mas como balancear essa equação?

A mulher, que normalmente precisa de mais estímulo, deve incentivar o parceiro a cumprir o "tempo regulamentar" ou aqueles 15 minutos a mais até que ela esteja pronta. É dele então a função de se empenhar nas preliminares - mas ele não tem bola de cristal para saber o que você está sentindo ou querendo.

Uma dica, da colunista e personal sexy trainer Fátima Mourah, é conversar com o parceiro e abrir o jogo, dizendo o que a satisfaz, como gostaria de ser tocada e com qual intensidade. "Mas você também pode se ajudar: conheça o seu corpo, toque-o e faça de tudo para que você fique confortável com ele. Aprenda a erotizar o seu dia-a-dia", sugere. Usar a criatividade para criar jogos eróticos - e situações favoráveis para esses jogos - também pode ajudar.

Se ainda assim você não tem coragem de puxar o assunto das preliminares em casa, use matérias de revistas, sites ou programas de televisão de "desculpa" e, sutilmente, expresse sua opinião. "Com certeza ele vai entender a mensagem", diz a professora.

O melhor jeito de administrar esse ‘timing’ diferente sem discutir ou se sentir mal é aceitar que realmente existe a diferença no ritmo dos dois. E lembrar, claro, que aquilo que você vivenciou no dia-a-dia pode influenciar na sua sexualidade. Se você não dividir, o gato não vai saber somar com você.

Muitas mulheres admitem que o homem avance, mesmo quando elas não estão prontas, por medo de se impor na relação. Mas cá entre nós, isso não é nada divertido, certo? "É muito importante que a mulher conheça quais são seus limites sexuais. Tudo que ela fizer em relação ao seu parceiro deve ser feito porque lhe faz bem e não só para agradá-lo", opina Fátima.


Você não precisa parar tudo, puxar a cordinha do mundo e dizer que quer descer da cama. Basta indicar, com respiração, toques e olhares que a transa vai ficar muito melhor se os dois estiverem correndo lado a lado. Pode apostar.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente