Cybersexo: tecnologia para o sexo

Cybersexo

A vida moderna trouxe a tecnologia para perto de uma das atividades mais antigas da humanidade: o sexo. A versão digital dos jogos de desejos sexuais vem ganhando adeptos e parece ser opção segura e alternativa para casais separados ou até para os mais envergonhados. O Cybersexo é a tecnologia em prol do sexo.

Hoje, qualquer atividade sexualmente orientada on-line e que tenha como objetivo a satisfação dos desejos e de fantasias eróticas pode ser considerada cybersexo. Isso mesmo. Aquela zapeada em sites nem tão ingênuos ou aquele papo picante com o namorado que está longe, viajando, é sim sinal de que você entrou na onda do prazer virtual.

Mas calma, porque não há nada de errado com isso. Desde que a prática seja saudável, não ultrapasse limites e não se torne a única fonte dos desejos, pode abusar sem medo.

Altamente relacionada à masturbação, o sexo virtual pode ser enquadrado também naquele comportamento de sedução, em chats ou por e-mail, no comportamento voyeur por sites eróticos ou numa atitude passiva diante de chat sexualmente orientados. O exibicionismo, por meio de câmeras em tempo real também é parte da prática.

Para o empresário Alexandre do Nascimento, de 33 anos, o cybersexo é uma atualização do tele-sexo: com a vantagem de não gastar telefone, ter o registro, para ler depois, e ainda conseguir fazer com mais de uma pessoa ao mesmo tempo, sem elas saberem. "Desde que você digite rápido e seja bem concentrado para não misturar os canais", conta ele, que pratica o sexo pela Internet desde que o advento começou no Brasil, em meados da década de 90. Na época, a prática era rodeada de preconceito. "Em 1997, dizer que conheceu alguém na Internet era algo tão polêmico quanto dizer que estava namorando um presidiário".


Para que o prazer tome forma, é preciso abusar da imaginação. Criar histórias ou descrever fantasias, fatos ou situações podem ajudar o parceiro virtual a chegar ao prazer (real) mais facilmente. Para quem pratica, a boa dessa onda é sair da rotina de uma forma bem segura.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente