Amor de verão vira namoro?

Amor de verão vira namoro

Foto: John Smith/Corbis

Viajou para um lugar paradisíaco e, em meio às suas férias, encontrou a sua alma gêmea? Muita calma, a gente sabe que uma paixão avassaladora anima qualquer pessoa, principalmente nos dias de folga, quando tudo o que se quer é quebrar a rotina. Então, cuidado, se apaixonar pode parecer o plano perfeito para dar uma sacudida na vida, mas será que ‘amor de verão sobe a serra’?

Se você está vivendo esse dilema e já perdeu as esperanças de que aquele cara incrível vá ficar na sua depois de voltar para sua cidade, nada de se desesperar. Afinal, ele pode ser a exceção que foge à regra e, convenhamos, eles sempre dão sinais (nem que mínimos) sobre o que estão querendo. Ou seja, antes de fantasiar que aquela paixão de verão é o amor da sua vida, pergunte a si mesma se ele demonstrou ter alguma intenção de que o rolo virasse namoro e veja se vale apena investir na relação.

Distância - Quando viajamos conhecemos pessoas que podem morar na mesma cidade ou não, por isso, antes de tudo, veja se é viável manter o relacionamento, pois, se a distância for um peso, isso poderá diminuir e até mesmo minar as chances de dar certo. Ficar dias ou meses longe de alguém não é fácil, mas, ok, admitimos, não é impossível.

Atenção aos sinais - Vocês ficaram todos os dias super grudados? Então ele deve ter dados todos os contatos - telefone, facebook, skype, twitter e todas as outras formas de interações, te apresentado aos amigos e familiares, caso estivessem presentes.

Vocês já combinaram de fazer algo após as férias? - Esse é o melhor e principal indício que irá mostrar se ele está ou não a fim de você, até porque, se ele não quisesse continuar o que começou nas férias não comentaria sobre um possível e futuro encontro.

Analise a situação com calma - Fazer uma análise minuciosa nos dias e semanas seguintes é imprescindível, mas nada de pressionar o moço. Veja se ele responde as suas ligações e mensagens, se te adicionou nas redes sociais e, primordial, se não vai sumir depois do primeiro final de semana de volta a casa. Se você não for tão paciente pode apostar em uma conversa franca e aberta, sem esquecer que, o ultimato até pode ser feito, mas é preciso estar preparada para (talvez) escutar um não, caso o gato não esteja na mesma sintonia que você.

Por Paula Perdiz

Comente