Alterações hormonais influenciam na perda da libido

Tensão pré-menstrual, menopausa e até mesmo medicamentos podem comprometer o seu rendimento sexual. Entenda!
Alterações hormonais influenciam na perda da libido

A perda da libido não é causada apenas por problemas de relacionamento ou psicológicos. Em muitos casos, as alterações hormonais, como tensão pré-menstrual, menopausa e medicamentos podem comprometer o rendimento sexual.

Segundo Amaury Mendes Jr., ginecologista, secretario geral da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana e professor e médico do Hospital da Universidade Federal do Rio de Janeiro, os hormônios responsáveis pelo prazer sexual podem alterar em determinadas épocas da vida.

Ele explica que a menopausa, no caso da mulher, e a andropausa, no caso dos homens, também conhecida como DAEM (Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino), podem alterar e muito o desempenho sexual.

"O cérebro manda para os ovários os hormônios LH (hormônio luteinizante) e FSH (hormônio folículo estimulante). Eles estimulam as células do ovário a produzirem estrógeno e prostógenos, mas como na menopausa os ovários estão secos, acontecem as famosas ondas de calor e, em alguns casos, a depressão".

A intensidade da perda da libido varia muito de mulher para mulher. "Se ela teve muito estresse ao longo da vida ou se a vida social dela foi comprometida, isso pode ser um problema. Agora se ela teve uma vida tranquila, foi bem amada realizou atividades que gostava, não vai ter tanto problema com isso".

Problemas de tireóide também causam perda de libido. O hipotireoidismo (pouca produção de hormônios) e o hipertireoidismo (produção excessiva de hormônios), provocam, respectivamente, ansiedade e nervosismo.

O homem também tem a libido afetada nessa fase, mas ele se beneficia por ser mais visual. O ginecologista comenta que basta ver uma mulher nua que ele fica excitado. Já a mulher precisa de algo subjetivo, se ela vê uma cena ela fica molhada, mas não necessariamente terá desejo de fazer sexo, vai ter um orgasmo. "Ela precisa de algo mais subjetivo, saber o porquê de estar transando. O homem só perde a libido se passar por um estresse muito grande."

Dr. Amaury ressalta que além dos hormônios, a perda da libido também pode ser potencializada pela depressão. Isso porque este sentimento costuma aumentar a prolactina, hormônio responsável pela lactação. "Ele impede que a mulher tenha tesão, para que a criança possa sobreviver. Ela passa a se preocupar em alimentar o filho e deixa de lado a relação sexual", explica.

Outra vilã da libido, na opinião do especialista, é a pílula anticoncepcional, principalmente as que possuem ação antiandrogênicas, sejam elas via oral ou injetáveis. "Ela é ótima para as meninas que tem problemas com acne e querem exibir uma pele lisinha, porém, a libido vai lá embaixo, por conta da alta dose de progesterona."


Já foi o tempo em que as doenças eram apenas físicas. É fato que o lado psicológico exerce grande influência nessa parte. "Este é um dos motivos pelos quais é importante a mulher procurar por um companheiro não somente interessante, mas também interessado. É preciso que haja vínculo, pois hoje as relações são muito generalizadas e isso não segura a relação", afirma Dr. Amaury.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente