Adauto... também quero um, Murici!

Bonito, romântico, prestativo, trabalhador, atencioso, ingênuo... Acredito que João Emanuel Carneiro criou um personagem totalmente extinto, no mundo real. Que mulher não queria um Adauto em sua vida? Cá pra nós, o perfil do personagem interpretado por Juliano Cazarré, é único. Um homem completamente apaixonado, e por uma mulher apenas (uma raridade), simples, trabalhador, bonito (uma beleza que vem de dentro pra fora), e de uma ingenuidade pra lá de cativante. Será que ainda existem alguns espécimes em nosso mundo atual? É somente eu, ou alguma mulher além de mim, também quer um Adauto? O Adauto foi um personagem que a exemplo de alguns outros em várias tramas televisivas, começou pequeno e insignificante. Um rapaz, jogador de futebol que teve a infelicidade de perder o pênalti que daria ao seu clube o título de um campeonato. Depois desse episódio, ele teria largado o futebol e tornou-se o gari do Divino. Ainda garoto, teria se apaixonado por Murici (Eliane Giardini), a mãe do Tufão (Murilo Benício) e, acabou por se envolver com a madame que vive aprontado, ainda saindo com o ex-marido, Leleco (Marcos Caruso). Será que mudará sua personalidade quando descobrir a traição da amada? A informação de que seria um analfabeto contradiz com o andamento da trama. Pois, já se descobriu que ele foi aluno em um colégio interno. E, o que teria dito o misterioso personagem, no ouvido de Adauto, momentos antes de cobrar o pênalti maldito? Se vai mudar ou não, saberemos no decorrer da trama. Até lá, ficamos (as sonhadoras por um Adauto) curtindo esse magnífico personagem que encanta a mulherada com seu jeitinho especial de ser. Quem já tiver um Adauto na vida, segure-o bem. Retribua, em dobro, cada afago, cada atenção, pois do contrário, acabará ficando sem ele.

Comente

Assuntos relacionados: artigo