Vinho tinto ou branco?

O jovem e chique casal acaba de sentar-se à mesa de um restaurante tradicional e elegante. Coisa fina, mesmo. Felizes e apaixonados, resolveram comemorar a data especial em um de seus locais favoritos. Num balé bem ensaiado, o serviço cinco estrelas se faz presente, e vai cumprindo todas as etapas, com primor.

Chega a carta de vinhos. Evidentemente, ela é entregue ao homem. Com muita elegância, ele a apanha e entrega-a à mulher que, sorrindo, dá início ao seu momento favorito: escolher o inesquecível vinho que irão beber.

O sommelier experiente, que já viu de tudo nesta vida, leva um tempo para processar a cena e, quando o faz, não consegue evitar um pensamento: “humm... este cara aí... não sei, não...” Agora, por que as pessoas acham que é o homem quem tem que escolher o vinho, só o deus Bacco sabe.

Matéria da Business Week não deixa dúvidas sobre o equívoco que comete quem, mesmo secretamente, acha que mulher não entende deste riscado: no mercado americano, 60% dos vinhos são comprados por mulheres. Nas degustações, elas superam o número de participantes masculinos. Por aqui não é diferente: pesquisa feita pela Diageo mostra que 65% dos consumidores de vinho no Brasil são mulheres. Segundo a Federação Brasileira de Confrarias, já existem 40 grupos femininos espalhados pelo país.

Na produção, a participação delas também vem crescendo: nos Estados Unidos, já representam 10% dos produtores de vinhos (eram 1% há dez anos!). Na brasileira Salton, a maior vinícola de capital nacional, elas são maioria no laboratório de controle de qualidade.

Sabemos que as mulheres têm o olfato e o paladar mais aguçados do que os homens. Segundo o site especializado Vinhos.net, testes feitos com ressonância magnética comprovaram que as mulheres usam o cérebro com até oito vezes mais intensidade do que eles, quando se dedicam a tarefas de cheirar e degustar.

As cartas de vinhos, no entanto, continuam a ser entregues aos homens. Mulheres não entendem de vinhos. Mulheres não entendem de carros. Mulheres não entendem de investimentos financeiros. A visão sobre as mulheres segue pautada por opiniões antigas. Mas não elas, que, como sabem os olhos mais atentos, não param de se atualizar e de se lançar a novas aventuras.

Denise Gallo e Renata Petrovic são sócias da Uma a Uma, empresa de inteligência de mercado especializada em comportamento feminino. A coluna Uma a Uma ajuda a entender melhor e desvendar as várias faces da mulher contemporânea.

Comente

Assuntos relacionados: vinhos sommelier