Queijo Minas é patrimônio cultural brasileiro!

Queijo Minas é patrimônio cultural brasileiro

Divulgação Iphan/ Foto Cristina Leme

O jeitinho mineiro de fazer queijo foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em maio deste ano. Não estamos falando daquele queijo minas tipo frescal, branquinho embalado em água, mas sim, do típico queijo mineiro, mais firme com casquinha amarelada. O tipo perfeito de queijo para combinar com goiabada.

Esse modo de preparar o queijo data desde o início da colonização, durante a exploração do ouro. Como na época, não existiam formas de conservação do leite, foi iniciada a produção de queijos para que evitassem a perda do alimento. Feitos de forma artesanal, os queijos necessitam de muito cuidado durante o seu manuseio, uma vez que o elemento que dará sabor, consistência firme característica ao produto é o leite cru. Em outra etapa a atenção deve se voltar para o processo de cura, já o tempo de cura pode variar de quatro (queijo meia-cura) a 20 dias (queijo curado).

Para entender melhor:

Meia cura - Queijo com pouco tempo de maturação.Curado - Estágio de maturação do queijo. Meia cura ou curado são estágios distintos de acordo com o tempo de maturação.

Fonte: Iphan - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

Comente

Assuntos relacionados: culinária cozinha mineira iphan queijo minas