Primavera no prato: Conheça as flores comestíveis

Veja as espécies de flores mais usadas na culinária e saiba como prepará-las!

Flores comestíveis: aroma, sabor e delicadeza nos pratos. Foto: Reprodução/thetasterevelation

As flores comestíveis vem sendo utilizadas há séculos na culinária. Na antiguidade, era comum utilizar flores nos pratos para dar um ar de sutileza, além de colorir a refeição e oferecer sabor e aromas distintos. Na Ásia, utilizavam flores de lírio-de-um-dia na culinária, na Roma Antiga era comum comer rosas, já na França Medieval, os pratos eram coloridos pela calêndula. Hoje, as flores mais utilizadas na cozinha comum são: brócolis, couve-flor, alcachofra e flor de abóbora.


Além de trazerem cor, aroma e sabor ao prato, as flores também possuem baixo valor calórico - cerca de 40 calorias a cada 100 gramas. E assim como frutas e verduras, as flores comestíveis apresentam vitaminas A e C. E é principalmente nas pétalas onde há uma grande concentração de minerais, vitaminas e compostos fitoquímicos, que são reconhecidos por ter uma função antioxidante e anti-inflamatória no organismo. 

Cuidados no consumo

Os cuidados básicos antes de comprar flores comestíveis são: adquirir de produtores que façam o cultivo especialmente para uso culinário, que não utilizam agrotóxicos ou tratamento químico; observar o modo de armazenamento no local; reconhecer quais plantas são destinadas ao consumo, uma vez que nem todas as flores são comestíveis. Além disso, o consumo não é recomendado a pessoas que apresentam alergia ao pólen.

As flores podem ser utilizadas em receitas salgadas e de sanduíches. Foto: iStock/zi3000

Algumas flores podem ser consumidas na inteiras, outras apenas parcialmente (ex: pétalas de tulipa) e outras ainda apenas em certas fases do seu desenvolvimento (ex: botões de margaridas). Em alguns casos, é necessário remover partes menos adaptadas ao consumo.

Culinária

As flores comestíveis podem ter um sabor doce, ou cítrico, levemente apimentado e até amargo. Por isso, diversos tipos de pratos podem ter o acompanhamento de flores comestíveis: assados, cozidos, saladas, sopas, doces, pães, bolos, biscoitos, sobremesas, e até chás e refrescos.

A higienização das flores, antes do consumo, deve ser realizada do mesmo modo como para os demais produtos de origem vegetal que são consumidos crus, mas sempre com muito cuidado, devido à delicadeza delas. Algumas partes das flores devem ser retiradas (como estames e pistilos), partes brancas e estames e pistilos grandes normalmente são amargos e não devem ser mastigados.

Mergulhe as flores na água A orientação para lavar as flores é mergulhá-las em água com uma colher de sopa de  vinagre ou desinfetantes próprios para verduras, durante 15 minutos e depois secá-las com papel toalha - sempre com muito cuidado, pois elas são delicadas.

Receitas doces também combinam com algumas espécies de flores comestíveis. Foto: iStock/amac00

Flores para comer

Amor-perfeito: Tem textura aveludada e é refrescante. Boa para saladas ou aromatizar vinagres.

Begônia: As flores de Begônia podem ser encontradas nas cores vermelhas, amarela, laranja e rosada. São muito apreciadas em virtude de sua acidez agradável. Suas flores podem ser usadas nas saladas, em arranjos e sobre coberturas. Em alguns pratos como ensopados, pode substituir o ruibarbo.

Calêndula: Suas pétalas podem ser misturadas ao arroz, ao peixe, à sopa, aos queijos, iogurtes e omeletes, dando uma coloração como a do açafrão. Pode ser usada também como corante de manteiga e queijos. Apenas as pétalas devem ser consumidas, desprezando-se o miolo.

Capuchinha: São flores fáceis de cultivar, elas trazem uma explosão de cor a qualquer salada. São boas recheadas, cristalizadas ou como ornamento. Possuem um gosto ligeiramente apimentado. As sementes podem até ser usadas para substituir pimentas tradicionais. A planta inteira é comestível. 

Flor de Abobrinha e Abóbora: Também conhecida como flor de cambuquira. Pode ser recheada com queijo e acompanhar pratos salgados ou ainda servir de ingrediente para sopas.

Violeta verdadeira: Não é a violeta-africana, encontrada nas floriculturas. Quando fresca, é usada em saladas. Cristalizada pode ser usada para decoração de bolos, pudins e sorvetes.

Por Lívia Duarte

Comente

Assuntos relacionados: Lívia Duarte receitas flores naturais