Os melhores bifes para fritar

Os melhores bifes para fritar

Como é prático comprar a carne já cortadinha em bifes. Hoje em dia você encontra vários tipos de peças prontas para fritar. E no meio de tantos cortes, às vezes, até quem entende do assunto se confunde. O Vila Sabor preparou um manual prático para você não errar. Veja:

Bifes de contra-filé: são fáceis de reconhecer, pois possuem aquela gordurinha cobrindo a maior parte de um dos lados. Temos como variação desse corte, o T-bone steack, que tem um osso em forma de T atravessando-o. Nos açougues também encontramos as bistecas ou chuletas que são meios t-bones e servem, perfeitamente para bifes, apesar de serem cortes mais para churrascos.

Bifes de alcatra: é um corte grande e terá que recortá-los para adequá-los às suas necessidades. Carne magra e saborosa.

Bifes de patinho: também é um corte grande. Geralmente é mais indicado para bifes à milanesa (bem finos), enrolados e outros que, depois da fritura, sejam cozidos. Não tem sabor marcante.

Bifes de coxão mole: são grandes, também. Um pouco mais macio que o patinho, muito saborosos. Possui gordura entremeada à carne.

Bifes de filé mignon: são geralmente retirados da parte mais fina do filé mignon. São os mais macios, mas, em compensação, não os mais saborosos. O que lhes dá o sabor é o molho que os acompanhará. Da parte mais larga da peça, também pode cortar os bifes, mas faça-o perpendicularmente ao sentido das fibras e depois achate-o para tomar o formato, com as mãos.

Para o bife de uso diário são usados os cortes de primeira, carnes mais macias, geralmente a alcatra e o contra-filé. Dependendo dos hábitos, também são aceitáveis o coxão mole e o patinho, menos macios. Para dias especiais, os bifes de filé mignon possuem a carne mais macia, mas também a mais cara, custando o dobro do contra-filé. Observe bem a gordura da carne antes de comprar. Deve ser clara. Se estiver amarela, o animal era velho e a carne será dura, qualquer peça que adquira.

Mais dicas sobre carnes em Churrasco sem mistérios

Por Juliana Lopes

Comente