O que comer na SPFW?

O que comer na SPFW

Talharim de pupunha com parmesão e azeite de trufa do Mani Manioca. Foto: divulgação

Ir a SPFW - mesmo no caso de quem só vai passear - é um programa para o dia todo. E depois de andar algumas horas pelos três andares da Bienal e ver tanta coisa bacana chega uma hora que bate aquela fome e quando isso acontece é possível comer muito bem por lá mesmo.

Em todas as edições, a SPFW ganha versões mini de alguns restaurantes famosos na capital paulista. Desta vez, o restaurante principal é o Mani Manioca. Há um espaço super bonito onde é possível comer alguns dos pratos do menu do local. Aline, responsável pelo restaurante, nos contou que o cardápio original é enorme, mas foi adaptado para o evento. Os pratos rápidos foram os escolhidos para a semana de moda.

Entre os pratos mais pedidos estão: o ‘Capellini com mix de cogumelos no azeite de trufas’ e o ‘Talharim de pupunha com parmesão e azeite de trufa’. Há até um PF que, claro, é uma versão mais glamurosa para um prato feito: arroz integral, picadinho de filé mignon, ovo e farofa. Entre as entradas, a preferência dos fashionistas é pelo Bolinho de Quinoa. Os pratos custam entre R$30 e R$ 40.

Ficou com água na boca e não vai poder ir até a SPFW degustar? A gente te salva! Conseguimos a receita do Talharim de pupunha com parmesão e azeite de trufa. Anota aí a receita que rende 4 porções:

Ingredientes

1kg de coração de palmito pupunha

500ml de creme de leite

250g de parmesão

250 ml de leite

Quanto baste de salsinha, azeite trufado, azeite de oliva, mix de brotos, flores comestíveis, pimenta seichuan e sal

Preparação

- Talharim: Corte o coração de palmito pupunha em uma máquina de cortar frios no sentido do comprimento com 1 milímetro de espessura. Logo após, com uma faca, corte em tiras como se fosse talharim e reserve. Cozinhe em água fervente com sal por 2 minutos, retire do fogo e resfrie imediatamente em água e gelo, escorra bem e reserve.

- Molho parmesão: Aqueça o leite, o creme de leite e adicione o parmesão cortado em pedaços pequenos, quando ferver e o queijo derreter, retire da panela e bata em um liquidificador até ficar um creme homogêneo, coe e reserve.

- Finalização e montagem: Pique a salsinha bem fina e reserve. Em uma frigideira aquecida coloque um fio de óleo. Em uma panela com água fervendo e sal mergulhe o talharim por alguns segundos, o suficiente para aquecer, retire da água, escorra bem e puxe na frigideira por alguns instantes.

Acrescente o molho de parmesão, salsinha, pimenta seichuan e um fio azeite trufado. Acerte o sal e a pimenta. Coloque o talharim no centro do prato, bata o molho com um mixer e sirva com a espuma que se forma na superfície. Finalize com brotos, flores e um fio de azeite de oliva.

Além do Mani Manioca há ainda um espaço que é uma versão do Lorena, 1989. Essa é uma opção para quem quer tomar uma cerveja ou um milkshake acompanhado de um lanche. Há tostex sofisticados como os de abobrinha e presunto cru que custam R$ 15 cada. Para os saudáveis de plantão há uma unidade do Salad Creations com várias opções de sucos, saladas e outras comidas e bebidas leves.

Os lounges das revistas e marcas espalhados pela Bienal também mimam os convidados com comidinhas e, claro, bons drinks - não falta pró-seco. Quem tem convite para entrar no lounge da Elle, por exemplo, pode degustar um delicioso brigadeiro de colher com geléia de morango. No da Vogue as quiches quentinhas de alho poró estão sempre sendo servidas. E esses são apenas alguns exemplos...


Já os jornalistas que correm - literalmente - para fazer a cobertura da semana de moda também ganham petiscos da organização do evento. Em determinados horários, na sala de imprensa, são servidos muitos lanchinhos: sanduiches de todos os tipos, salgadinhos assados e docinhos deliciosos como carolinas, pães doces com chocolate e nozes e entre outros, que salvam a vida de quem trabalha duro por lá.

Por Larissa Alvarez

Comente