Novas receitas de pratos tradicionais

pratos tradicionais

foto divulgação

Está em alta misturar ingredientes de várias cozinhas. Mas não é qualquer combinação que pode dar certo. Pratos novos são testados diversas vezes pelos chefs antes de brilhar no cardápio e surpreender paladares.

Na cozinha brasileira, as combinações típicas ganham novos ingredientes ou ainda agregam a comida das regiões. O conhecido escondidinho pode ser feito com peixes e verduras da Amazônia. Difícil de imaginar? Aprenda novas receitas que fazem sucesso nos restaurantes.

Sonho de Aipim - Nas mãos de Ana Bueno, o típico quitute salgado de Paraty ganha ainda mais sabor e sai do café da manhã ou lanches da tarde para se transformar numa deliciosa sobremesa servida no restaurante Banana da Terra. A chef do restaurante aprendeu a receita com a sogra até que um dia resolveu rechear os bolinhos com uma feliz combinação de goiabada e requeijão culinário. E não contente com a mudança, ainda adiciona sorvete de goiaba para acompanhar.Peixe com crosta de camarão e farofa de castanha-do-pará - Antes de pensar em um novo prato, Ludimilla, chef do restaurante Zuca, recorre às memórias gustativas e olfativas de receitas que fizeram parte da sua vida. O paladar do Vatapá, por exemplo, é inesquecível porque traz à tona as reuniões de família na casa do avô baiano. Com a intenção de surpreender os comensais, ela aplicou a técnica da desconstrução do espanhol Ferran Adrià, em que apenas se modifica a estrutura e não os ingredientes. “A idéia é deixar o cliente olhar o prato e não perceber de imediato, mas quando der a primeira garfada: Opá! É Vatapá!”.Escondidinho de pirarucu com jambu - Apesar de ser mineira, Denise Borges na capital acreana e desde então gosta de valorizar os ingredientes da floresta. Escolheu para o nordestino escondidinho, ingredientes típicos da Amazônia, entre eles, Pirarucu, maior peixe de água doce também considerado o “bacalhau” da Amazônia, com jambu, verdura muito semelhante ao agrião.Charque desfiado com origoni - O tradicional churrasco de charque, feito na brasa e acompanhado de arroz carreteiro, na versão de Aires Scavone aparece desfiado, refogado com origoni (pêssego desidratado) e servido com salada de mini flores. Uma versão “fina e chique”, na opinião do chef que renova o conceito de alta gastronomia com produtos regionalizados e financeiramente acessíveis.

Por Juliana Lopes

Comente