Homens na cozinha

Gente é sério: há um novo conceito arquitetônico que reza que hoje as casas não tem mais que ter uma cozinha e sim devem ser construídas ao redor delas! É isso aí.

A cozinha foi promovida a cômodo nobre e devemos isso aos homens que, de uns tempos para cá, resolveram assumir o comando também dos fogões.

Eles passaram séculos longe do fogão, mas no momento em que colocaram os pés naquele território, viraram todos chefs.

Cozinhar para eles não é um divertimento ou hobby como querem fazer crer, eles ficam tensos e levam tremendamente a sério uma receita. Pode conferir.

Se você foi convidada para jantar na casa dele, não se anime demais. Pode até levar debaixo do braço aquele tinto francês reservado para ver Deus. Só não ouse dizer que comprou no supermercado, senão você vai ouvir uma longa preleção mais ou menos na linha "eles deixam as garrafas em pé... vinho europeu não viaja bem.. a rolha resseca..." (se for esse o caso, não esqueça de abanar a cabeça concordando com ele).

Também nem tente argumentar qualquer coisa confiando naquele curso de degustação de vinhos que você fez recentemente. Para eles, nada que leve menos de três anos de estudos com degustações “in loco” pode ser coisa boa.

Ao chegar na casa de um homem desses, provavelmente, quem irá lhe abrir a porta será uma criatura com ar grave de alquimista prestes a descobrir o segredo de Midas, reclamando da dificuldade de se encontrar uma boa pimenta jamaicana, segurando uma bugiganga recém comprada em uma loja especializada ( eles jamais compram apetrechos de cozinha em supermercados por exemplo) para tirar a pele de legumes.

Ele veste um avental imenso, engomado, com monograma bordado, imaculadamente branco - nada da roupinha casual, mole e sensual e pés descalços como você o imaginou segundos atrás.

Duas horas e meia depois, o jantar está servido. Sabe aquele frango refogado que você faz em vinte minutos, jogando um punhado de temperos a olho? É mais ou menos isso, só que coberto por uma finíssima fatia de manga, arrematada com umas três ou quatro lascas de gengibre. E pensar que você estava rezando para aquela manga virar sobremesa, escoltada por um simples sorvete de caixinha...

Fim do banquete, vá arregaçando as mangas para ajudar a lavar louça. Se deixar por conta dele, serão mais duas horas esfregando as três panelas de cobre, duas de pedra sabão e o processador de alimentos que sujou 17 peças pra picar salsinha- equipamentos rigorosamente necessários para cozinhar uns 250g de frango.

Hora do café, hora do relax, certo? Pelo menos agora você finalmente vai experimentar a tal grife italiana de café, pela qual ele paga uma nota preta sem imaginar que o elogiadíssimo blend tem cerca de dois terços de café brasileiro.

Quando a água ferve, ele grita e de um salto chega até o coador. Queimadura? Não. Puro horror, porque "água para café não pode ferver de jeito nenhum.

Calma rapazes. Sei que não se pode generalizar. Mas que muita gente reclama desse tipo de atitude não resta a menor dúvida. E é uma peculiaridade masculina. E muitas mulheres morrem de saudades do tempo em que cozinhávamos com um "ajudante” tarado, abraçando a gente por trás sempre que chegávamos mais perto da pia...

Claro que adoramos o fato de poder contar com vocês para nos preparar refeições especiais. Desde que elas não se limitem a nos satisfazer apenas o paladar.

É preciso manter a perspectiva: uma refeição passa a ser inesquecível pelo conjunto dos acontecimentos e, quando mais de um sentido pode ser satisfeito.

Afinal, grandes apreciadores da boa mesa e mulherengos notórios como D. Juan e Giacomo Casanova afirmam que sempre usaram a gastronomia como um meio de levar uma mulher para a cama e não como uma arte a ser perseguida a ponto de se esquecer a amada sentada no sofá da sala.

Jornalista, escritora e palestrante, Claudia Matarazzo é autora de vários livros sobre etiqueta e comportamento: “Visual, uma questão pessoal”, “Negócios Negócios - Etiqueta faz parte”, “Amante Elegante - Um Guia de Etiqueta a Dois”, "Casamento sem Frescura", "net.com.classe", "Beleza 10", "Case e Arrase - um guia para seu grande dia", "Gafe não é Pecado" e "Etiqueta sem Frescura"

Comente