Flávia Quaresma

foto divulgação

Flávia não é só conhecida pelos pratos de qualidade que costuma preparar. A simpatia e o carisma também acompanham essa chef de 39 anos desde os tempos de estudante na Lê Cordon Bleu (França).

Como uma boa carioca, ela adora conversar e discutir idéias. Por isso, é comum encontrá-la no salão de seu restaurante do Rio de Janeiro, Carême Bistrô, ouvindo a opinião dos clientes, entre eles, artistas famosos, como, Cláudia Raia, Chico Buarque e Adriana Esteves.

Ela também pode ser vista viajando mundo afora a fim de trazer as melhores novidades do universo gastronômico. Entre uma viagem e outra, ainda reserva tempo para a consultoria de restaurantes e organização dos cardápios de seu buffet. Também estão em sua concorrida agenda, as aulas de culinária de sua própria escola - Q Criações Gastronômicas.

Mas sempre acaba sobrando um tempinho para o lazer. É nessas horas que ela aproveita para conversar com os amigos e saborear o pastel de feijão dos botequins de Santa Tereza, no Rio de Janeiro.

Vila Sabor: Qual receita você mais aprecia?

Flávia Quaresma: Vieiras grelhadas com espuma de Ostras e Côco. Divino!

Vila Sabor: Depois de estudar medicina e jornalismo, você optou pela gastronomia por acaso enquanto estava na França. Como foi a reação da sua família?

Flávia Quaresma: Isso chega até ser um fato engraçado. Depois de passar por essas duas faculdades, nem tinha mais crédito. Quando fui estudar na França, caiu a ficha. Tinha que fazer gastronomia e estudar na Lê Cordon Bleu. Antes de começar lá, liguei para casa avisando a minha decisão e fiz um trato com meu pai. Nós combinamos que se eu arranjasse um emprego, ele me ajudaria a pagar o curso. Fiquei dois anos em Paris estudando e trabalhando como garçonete. Foi uma experiência maravilhosa. Quando voltei, também aprendi um pouco de administração na Clínica de Radiologia da família.

Vila Sabor: Com quem você aprendeu a cozinhar?

Flávia Quaresma: Minha avó cozinhava muito bem. Ela me ensinou coisas maravilhosas da culinária francesa, como, pães, suflês de chocolate, entre outras delícias, pois morou na França por muito tempo. A preferência por doces permaneceu durante a adolescência. Quando minhas amigas faziam aniversário, sempre me oferecia para preparar o bolo. Todo mundo adorava!

Vila Sabor: Quando esteve na Lê Cordon Bleu, você sofreu algum tipo de preconceito por ser mulher e brasileira?

Flávia Quaresma: Além disso, naquela época tinha 24 anos e era considerada velha.Isso mesmo! Os franceses começam a estudar gastronomia muito cedo. E ainda era super baixinha. Tenho 1,56 m! Mesmo com tudo isso, tinha uma grande vantagem: a simpatia. Acho que o brasileiro se dá muito bem lá fora por causa disso.

Vila Sabor: Pelo visto a simpatia te acompanha até hoje. Isso porque é comum encontrá-la no salão do Carême Bistrô conversando com os clientes. Isso te ajuda no dia-a-dia, na escolha de um prato para o cardápio?

Flávia Quaresma: Sem dúvida. Eu gosto de gente. É muito importante ouvir opiniões. Outro dia me deram ótimas sugestões para o Cassoulet (feijoada típica francesa) e achei ótimo.

Vila Sabor: Você costuma mudar muito o cardápio?

Flávia Quaresma: Estou sempre inserindo novas receitas devido à experiência que adquiro durante as minhas viagens. Se permanecer com os mesmos pratos por muito tempo, acaba virando rotina tanto para o cozinheiro quanto para o cliente. Mas as sobremesas de chocolate e a torta de maçã com creme brulée nunca podem sair de cena. Sou fanática por chocolate!

Vila Sabor: Você sempre está viajando, seja para o programa ou em roteiros enogastronomicos. Quais foram as últimas novidades que você experimentou?

Flávia Quaresma: Há pouco tempo fui para o Chile e achei maravilhoso. Fiquei encantada com o Vale do Colchagua, seus peixes e frutos do mar super saborosos e ainda com a criação de salmão do sul. Tenho vontade de conhecer o Peru. Em setembro vou promover uma viagem enogastronomica à região da Borgonha (França).

Vila Sabor: Você presta consultoria para o contemporâneo Eça, nome dado em homenagem ao romancista Eça de Queirós, cuja sua obra é repleta a referências culinárias. Você gosta de ler? O que costuma fazer nas horas vagas?

Flávia Quaresma: Para te falar a verdade não sobra muito tempo. Mas comecei a ler a obra Azeite, da editora Senac. Também adoro conversar com os amigos e saborear aqueles pasteizinhos de feijão dos bares de Santa Teresa.

Por Juliana Lopes

Comente

Assuntos relacionados: culinária sabor flávia quaresma