Chef Juliana Cestari

foto divulgação

Juliana foi criada entre panelas e livros infantis. Desde pequena, já ajudava a mãe e escritora Waldete Cestari a descascar batatas ou na montagem de tortas. Mãe e filha, escritora e chef de cozinha, resolveram unir as experiências e realizar um antigo sonho: “Contando Histórias na Cozinha”, por enquanto uma produção independente.

O livro é dividido em bebidas, além de delícias doces e salgadas. São 32 receitas e 22 histórias criativas com curiosidades sobre alimentos, receitas e ingredientes, entre eles, frutas e legumes. Uma delas relata a arrogância da cenoura que se acha mais bonita e vistosa do que a batata, e tem como sugestão o Fofinho de Cenoura (Suflê de Cenoura). “Por meio desses contos, as crianças se interessam pelos alimentos e cozinhar vira uma diversão”, diz Juliana.

Além disso, as crianças também têm a opção de colorir as ilustrações referentes aos personagens das receitas, enquanto esperam o alimento ficar pronto. Segundo a chef, a obra ainda traz dicas de como fazer os pratos. Estimular o raciocínio lógico e matemático das crianças por meio do sistema de pesos e medidas também é um dos grandes objetivos da obra.

O prefácio foi escrito por Renata Braune, antiga colega de profissão. Antes de trabalhar na cidade de Michigan, Juliana foi sua assistente no trabalho de consultorias para restaurantes e ainda esteve na cozinha do Chef Rouge e no Sonoma Steak. Atualmente, a jovem chef está trabalhando no Templo Bistrô Mediterrâneo em Brasília.

Vila Sabor: Por que resolveu escrever um livro de culinária para crianças?

Chef Juliana Cestari: Minha mãe sempre trabalhou com histórias infantis. Além disso, desde os dois anos, eu já a ajudava na cozinha. Enquanto ela fazia a comida, às vezes me dava batatas para descascar ou então algum livrinho. Aproveitava para dar uma olhada nos livros de culinária, como aquele antigo da Dona Benta. Quando entrei na faculdade, já pensava em escrever um livro com ela. Depois de morar nos Estados Unidos e me estabelecer aqui, achei que era a hora de realizar o nosso antigo sonho.

Vila Sabor: Vocês fizeram uma pesquisa antes?

Chef Juliana Cestari: Conversamos com outros autores e fizemos pesquisas em escolas com pais e professores. Aliado a isso, aproveitamos a experiência da minha mãe com livros infantis.

Vila Sabor: A sua família sempre foi muito ligada à gastronomia?

Chef Juliana Cestari: Sem dúvida. É a tradicional família italiana que não sai da cozinha. Meus avós eram padeiros. Inclusive, minha bisavó Venerana está em uma das historinhas do livro. Ela ensina a fazer uma pizza super fácil.

Vila Sabor: O maior atrativo do livro é exatamente este tipo de história que faz uma conexão criativa com a culinária?

Chef Juliana Cestari: Exato. As receitas estão diretamente relacionadas aos contos e assuntos educativos. A receita do sorvetão, por exemplo, conta uma historinha com focas, baleias e pingüins. Já a de groselha relata a vida da borboleta Zélia. O frapê de côco tem uma explicação sobre os coqueiros. Desta forma, as crianças lêem a história, conhecem fatos curiosos e sentem-se mais incentivadas para cozinhar e comer.

Vila Sabor: Quem fez as ilustrações?

Chef Juliana Cestari: Nós adoramos o traço do Chico Bronze. São ilustrações em preto e branco. Enquanto elas esperam as receitas ficarem prontas, podem colorir os personagens das historinhas que acabaram de ler.

Vila Sabor: Você também escolheu receitas da sua infância. Qual delas você mais gostava?

Chef Juliana Cestari: A Torta de Amendoins. Uma delícia! Esta torta é referente à historinha dos dinossauros Quino e Nena.

Vila Sabor: Também existe uma preocupação em estimular o consumo de frutas e legumes?

Chef Juliana Cestari: Muitas das histórias envolvem esses ingredientes, como a da bruxa que preparou um tomate recheado. Outra muito divertida é aquela que conta à arrogância da cenoura colorida e vistosa perante as batatas, com a receita Fofinho de Cenoura (suflê de cenoura).

Vila Sabor: De que foram vocês usaram temas como higiene pessoal e situações de perigo?

Chef Juliana Cestari: Em todas as receitas explicamos exatamente o que cada mãe precisa separar, como, por exemplo, descascador, batedeira ou travessa, além do que o adulto precisará fazer.

Vila Sabor: A Renata Braune fez o prefácio do livro. Em quais oportunidades você trabalhou com ela?

Chef Juliana Cestari: Trabalhei como assistente da Renata no chef Rouge e ainda fiz alguns trabalhos de consultoria com ela. É uma grande amiga. Muito da culinária francesa que aprendi foi com ela. Adorei o prefácio que fez! Mas também tive uma boa experiência em cozinhas francesas quando estive na cidade de Michigan.

Por Juliana Lopes

Comente

Assuntos relacionados: alimentação gastronomia sabor