Chef Ana Trajano

chef ana trajano

foto divulgação

A jovem chef Ana Trajano, proprietária do restaurante Brasil a Gosto e autora do livro de mesmo nome, percorreu os quatro cantos do país a fim de conhecer as particularidades regionais que envolvem a cultura da culinária brasileira.

Durante seis meses, a chef conheceu o que há de melhor dentro e fora das panelas, esteve em cozinhas caseiras, mercados, casas de farinha e engenhos de rapadura. Traçou um panorama dos sabores brasileiros e os associou a eventos sociais, musicais e religiosos.

Seu objetivo principal ao viajar as 47 cidades do país, era o de conhecer ingredientes até então exóticos para muitos brasileiros. Mas preferiu não se limitar aos pratos típicos de cada local.

Muitos desses ingredientes são harmonizados com técnicas estrangeiras que Ana aprendeu no ICIF - Italian Culinary Institute for Foreigner (Instituto Italiano de Culinária para Estrangeiros). A partir daí, surgiram as combinações contemporâneas presentes no cardápio do seu restaurante Brasil a Gosto.

Vila Sabor: Durante a viagem, você permaneceu na casa de muitas pessoas. Quais características em comum observou de região para região?

Chef Ana Luiza Trajano: O povo brasileiro é muito hospitaleiro. Cada um tem a sua forma de receber. Todas as doceiras e cozinheiras são muito talentosas e têm orgulho da nossa terra. Tudo isso foi ao encontro do que eu realmente queria. Não fui atrás de pratos típicos, mais sim, em busca dos ingredientes, processos e do que realmente se come.

Vila Sabor: Você já esteve em diversas comunidades. Qual delas te chamou mais atenção?

Chef Ana Luiza Trajano: A Comunidade do Carvão, no Amapá. Foi a minha primeira parada e permaneci 12 dias por lá. Fiquei impressionada com o modo de vida deles. São ecologicamente corretos! Sua cultura gastronômica também é muito rica. Experimentei pratos como Açaí com Tapioca e Pato no Tucupi, deliciosos!

Vila Sabor: E qual região mais te surpreendeu?

Chef Ana Luiza Trajano: Sem dúvida o Norte. Percorri a Bacia Amazônica de barco e fiquei encantada com seus peixes, principalmente os de água doce, como pirarucu e o tucunaré. Isso sem contar na diversidade de frutas (cupuaçu, bacuri entre outras) e ainda as ervas. Também gostei bastante das feiras e mercados, como o de São Joaquim, Caruaru (Pernambuco) e Ver-o-Peso, a maior feira livre do Pará.

Por Juliana Lopes

Comente