Chá para todas as horas

Existem várias lendas em torno das origens do chá. A mais popular é uma lenda chinesa que conta que no ano 2737 a.C., o imperador Shen Nung descansava sob uma árvore quando algumas folhas caíram em uma vasilha de água que seus servos ferviam para beber. Atraído pelo aroma, provou o líquido e adorou. Nascia aí, o chá.

Esta lenda é divulgada como a primeira referência à infusão das folhas de chá verde, provenientes da planta Camellia sinensis, originária da China e da Índia. O tratado de Lu Yu, conhecido como o primeiro tratado sobre chá com caráter técnico, escrito no séc. VIII, durante a dinastia Tang, definiu o papel da China como responsável pela introdução do chá no mundo.

A Festa do Chá de Boston, em 1773, teve uma participação decisiva na história da independência dos Estados Unidos. Nesta época, beber chá era tão popular nas colônias britânicas quanto na Inglaterra. A oposição ao aumento da taxa de importação de chá representou um exemplo precoce da rebelião americana contra os regulamentos britânicos. Este evento contribuiu decisivamente para a guerra que culminou na independência americana.

No Brasil, existem evidências que apontam o primeiro plantio de chá em 1814, em uma grande área da Ilha do Governador, na Fazenda Santa Cruz e no hoje Jardim Botânico do Rio de Janeiro, tendo D. João VI contratado para isso colonos chineses a fim de ensinaram o plantio e preparação do chá.

O consumo de chá no Brasil vem crescendo nos últimos tempos. Atualmente, encontram-se, no mercado nacional, chás de várias espécies de plantas. O chá preto, o mais tradicional, divide as prateleiras dos supermercados com diferentes tipos de chás oriundos de plantas consideradas terapêuticas ou medicinais.

O fato é que, quentes ou gelados, chás são revigorantes e deliciosos, tendo presença obrigatória em nossa mesa.

Grande abraço e até a próxima!

Colunista do Vila Sabor, o Chef Rodrigo Anunciato é formado em gastronomia pelo Senac e professor titular da Faculdade de Gastronomia da UniSantos.

Comente