A rica (e desconhecida) cozinha do Irã

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

O país dos aiatolás é conhecido como área de eterno conflito no Oriente Médio. Assim como o seu modo de vida, que pelas barreiras religiosas e ideológicas, permanece quase que imutável pelas influências estrangeiras, a sua cozinha segue praticamente o mesmo padrão.

Com uma técnica que descende do Império Persa, a cozinha iraniana é uma das mais ricas do mundo. Entre receitas como a sopa de lentilhas cor-de-rosa, a baklava (massa de rosas com amêndoas e pistache), o abgusht (ossobuco de cordeiro com especiarias), o tadig (crostata de arroz feito no vapor) e sopa de romãs, por exemplo, observamos os princípios de uma culinária desconhecida no Ocidente, muitas vezes confundida com a árabe, síria ou libanesa.

Mais que ancestral, a culinária iraniana - ou persa, como preferem alguns - utiliza em suas receitas um dos temperos mais caros do mundo: o açafrão. Não encontrada no Brasil, a especiaria verdadeira chega a concorrer com o valor do dólar em alguns países e é usada na maioria dos pratos, inclusive nos doces.

Outros temperos, como o dill, o estragão, as pétalas de rosas, além de carnes e frutas são ingredientes dessa culinária que sabe misturar tudo em receitas saborosas.

Na foto, o Khoresh de Karafs, (um guisado de carne e salsão) que estimula o paladar e cuja receita você encontra aqui no Vila Sabor.

[img=1]

Grande abraço e até a próxima!

Colunista do Vila Sabor, o Chef Rodrigo Anunciato é formado em gastronomia pelo Senac e professor titular da Faculdade de Gastronomia da UniSantos.
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente