Zezé Leone

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Receita extraída do Livro História da Arte da Cozinha Mineira por Dona Lucinha.

Rendimento

4 porções

Ingredientes

  • 8 unidade(s) de gema de ovo
  • 8 colher(es) (sopa) de açúcar
  • 1 colher(es) (sobremesa) de amido de milho
  • 1 litro(s) de leite
  • 1 colher(es) (sobremesa) de essência de baunilha

Creme

  • 8 unidade(s) de clara de ovo
  • 8 colher(es) (sopa) de açúcar
  • 1 cálice(s) de vinho do porto
  • 4 folha(s) de gelatina incolor sem sabor
  • 4 folha(s) de gelatina vermelha sem sabor
  • 250 ml de Água

Modo de preparo

Bata na batedeira as gemas junto com o açúcar, até que forme bolhas. Depois junte o amido de milho, misture e reserve. Coloque o leite para ferver junto com a baunilha. Mexa bem. Ao levantar fervura, retire uma parte do leite, misture às gemas e depois junte ao leite que está no fogo. Deixe cozinhar levemente, mexa sempre para não talhar. Retire do fogo, mexa de vez em quando. Deixe esfriar, reserve.

Creme

Bata as claras em neve e vá adicionando o açúcar aos poucos. Depois de bem batido, acrescente o vinho. Esquente a água em banho-maria, derreta as folhas de gelatina e adicione às claras. Bata por mais cinco minutos. Use uma colher para colocar pequenas porções em taças ou em compoteira de boca larga. Depois derrame o creme reservado sobre a espuma rosada e por último a espuma rosada.

Pode-se decorar com ameixas pretas sem caroço. E pode-se dizer que é a mais leve e mais bela sobremesa mineira. Seu nome se deve à uma miss Brasil de pele muito rosada.

Receita originalmente do CyberCook.com.br
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Assuntos relacionados: doces Regional Brasileira Sudeste Cremes