Blogueiros convivem de perto com o trabalho escravo em reality show

Jornal revela as péssimas condições de trabalho em fábrica têxtil
blogueiros moda reality

foto reprodução: SweatShop

O jornal mais conhecido da Noruega, Aftenposten, produziu um reality show online de cinco episódios convidando três blogueiros de moda adolescentes do país para uma viagem ao Camboja, país do continente asiático, para conhecerem de perto o trabalho numa fábrica têxtil.

Cada episódio do reality chamado SweatShop — Deadly Fashion tem duração média de 10 minutos, e em cada um os blogueiros vão tendo um choque de realidade gradual. No começo eles se sentiam curiosos e despreocupados, mas a situação começou a mudar quando visitaram a casa de uma das trabalhadoras e lidaram de perto com a sua realidade. 

Os blogueiros vão com a cambojana a uma loja, onde uma blusa de US$ 35 (R$ 90) vale mais do que toda a sua renda por um mês, já que seu salário é de US$ 3 (R$ 7) por dia.

blogueiros moda reality

foto reprodução: SweatShop

Logo depois os blogueiros começaram o trabalho pesado na fábrica têxtil. Em um certo momento, uma das blogueiras chora diante das câmeras e diz: "Eu não aguento mais. Que tipo de vida é essa?".

“Trabalhei com eles por algumas horas e pensei que ia partir ao meio. Estava muito quente e as tarefas são muito cansativas. Além disso, você tem que trabalhar sob grande pressão e fazer tudo muito rapidamente. Assim que termina uma peça de roupa, você começa a costurar outra, sem descanso. É um círculo vicioso que não acaba nunca”, revelou posteriormente Anniken Jorgensen, uma das blogueiras mais famosas da Noruega, participante do reality.

A iniciativa do Aftenposten revela a situação extremamente injusta da exploração do trabalho que ocorrem não só no Camboja, mas em várias partes do mundo. Serve pra despertar, né gente?


A série foi lançada em meados do ano passado e dá pra assistir os cinco episódios nos links a seguir, com legendas em inglês e espanhol.

Por Jessica Moraes

Comente

Assuntos relacionados: blogueiras