Vestidos das celebridades: é possível reproduzir?

Vestidos das famosas  dá para copiar

Foto: Grosby Group

Os modelos de vestidos exibidos nos tapetes vermelhos se tornaram objetos de desejo de muitas mulheres. E como, infelizmente, nem todas podem desfilar um legítimo Armani, a alternativa é procurar uma costureira expert e pedir para que ela reproduza a peça. Será que isso realmente pode dar certo?

Antes de partir para a realização do sonho de ter um vestido glamouroso existem alguns pontos que devem ser levados em consideração. Todos os vestidos que passam pelo tapete vermelho são de alta costura. Isso significa que são peças exclusivas, de muitíssima qualidade, feitas sob medida e por profissionais altamente gabaritados. Certamente todos esses itens tornam o modelo difícil de reproduzir. "Eles nunca são fáceis de copiar, todos têm modelagens complexas e levam meses para ficarem prontos", revela Bia Kawasaki, consultora de moda.

O primeiro passo para ter um vestido maravilhoso é encontrar uma costureira talentosa. Bia lembra que os tecidos são peças-chave para conseguir um caimento perfeito. Cada modelo pede um tecido, que pode ser cetim, tafetá, renda, tule, entre outros. "O ideal é usar renda pura. O tecido deve obrigatoriamente ser natural, nada de sintético!", recomenda a consultora.

Para não correr o risco de errar e para que não haja imperfeições, uma dica: não modifique nada do modelo original. "Para modificar qualquer coisa tem que mexer em toda a estrutura da modelagem", afirma Bia Kawasaki. "Talvez, somente o comprimento possa sofrer alterações". E alerta: "Vestidos com calda longa devem ser usados somente em festa Black Tie", completa.

Não podemos esquecer que essas peças são feitas com exclusividade, neste caso, para atrizes que sofrem para manter a paz com a balança. Por isso, devemos tomar cuidado para não darmos um tiro no próprio pé. "Todos os vestidos são, somente, para mulheres muito magras", é o que garante a consultora de moda.

Alguns modelos acentuam algumas imperfeições. "Tome cuidado com as gorduras nas costas, elas nunca devem aparecer", recomenda Bia. Mulheres magras, porém, sem cintura têm biotipo retangular e ficam muito bem com modelos de duas peças. Se este for o seu perfil, Bia recomenda: "Use saias e blusas, peças separadas ou transpassadas."


O tomara-que-caia é o rei das esbeltas. Este modelo de vestido é o mais recomendado para quem está em dia com a balança e têm seios pequenos. "Além deste, os que marcam o busto com decote só devem ser usados pelas magrinhas", finaliza Bia Kawasaki.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente